“Na minha concepção cristã, mulher no casamento é submissa ao homem”, diz Damares

Compartilhe
Crédito: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil   Crédito: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil 

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou, durante audiência na Câmara dos Deputados na última segunda-feira 16, que dentro da sua “concepção cristã”, a mulher deve ser submissa ao homem no casamento. “Lá dentro da igreja, nós entendemos que no casamento entre homem e mulher, o homem é o líder”, disse a ministra.

“Isso não me faz menos capaz de dirigir este ministério. Não me faz mais incompetente. É uma questão de fé lá dentro do meu segmento”, completou a ministra.

A fala de Damares, dita durante audiência da comissão de defesa dos direitos da mulher, veio após um questionamento da deputada federal Alice Portugal (PC do B), que perguntou a posição da ministra em relação à flexibilização da posse de armas de fogo, fazendo referência ao decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, em janeiro.

A deputada Sâmia Bomfim (PSOL) também perguntou à ministra sua posição sobre as armas, argumentando que o decreto pode ser prejudicial às mulheres e que casos de feminicídio podem aumentar.

Damares, no entanto, se esquivou. “Tenho sido o mais imparcial possível nesse ministério, por isso deixo elas [perguntas sobre armas] para um segundo momento. O homem mata com os dentes, com a mão”, disse ela. “O que nós podemos fazer é um debate bem técnico sobre o impacto disso na violência contra a mulher. Não da para a gente já dizer que impactou, é tudo uma expectativa de que pode aumentar.”

Cobrada por alguns parlamentares sobre políticas públicas relacionadas ao aborto, a ministra reiterou sua posição contrária, mas disse que isso “não vai nortear” o ministério. “Não vou fazer essa discussão, é uma discussão do parlamento”, disse Damares. “A política pública com relação ao aborto é desenvolvida pelo ministério da Saúde, então deixa o ministro Mandetta lá cuidando disso, eu vou cuidar de mulheres, vou lutar para que a gente salve mulheres.” As informações são do UOL.

Leia Também Vereadores aprovam orçamento do Executivo para 2020 Haddad é condenado a 4 anos de prisão em regime semiaberto por crime de caixa dois Aprovado o projeto de controle populacional de cães e gatos em Passo Fundo Em ação: super-heróis chegam à Câmara de Vereadores