Senegaleses pedem solução para atuação de vendedores ambulantes

Compartilhe

Associação de Senegaleses de Passo Fundo (ASPF), solicitou à Comissão de Cidadania, Cultura e Direitos Humanos (CCCDH) da Câmara, uma solução para a situação dos vendedores ambulantes. 

Segundo o presidente da ASPF , Aliou Thiam, os imigrantes que atuam nas ruas do centro da cidade, estão sujeitos a ação dos fiscais e da polícia, o que estaria dificultando o trabalho dos ambulantes. Ele explica que os imigrantes precisam trabalhar para enviar dinheiro aos familiares.

Para o secretário de Finanças, Dorlei Maffi, o município não pode incentivar uma atividade que é proibida por lei. Mas ofereceu ajuda aos imigrantes na reinserção profissional, entre outras medidas, já desenvolvidas, como os cursos permanentes de língua portuguesa aos estrangeiros.

De acordo com o professor Frederico dos Santos, representante do Fórum de Mobilidade Humana de Passo Fundo (FMHPF), os senegaleses começaram a chegar em Passo Fundo há pelo menos 10 anos. Desde então lutam para ingressar no mercado de trabalho. Muitos já fazem a diferença em indústrias, fábricas e no comércio.

O presidente da Comissão, vereador Saul Spinelli (PSB), deve marcar uma nova reunião, com a participação de todos os senegaleses para que tirem dúvidas e discutir soluções para aqueles que ainda estão no mercado informal.

Participaram da reunião, os vereadores Rudimar dos Santos (PCdoB), Eloí Costa (MDB), Pedro Daneli (PPS) e Rafael Colussi (DEM).

 

Leia Também Empresário Erasmo Battistella é homenageado nos 162 anos do município Milhares de pessoas passaram pela feira no primeiro dia da Expointer Bolsonaro diz que incêndios não podem gerar sanções ao Brasil Lava Jato investiga beneficiários de planilha de lavagem de dinheiro