Senegaleses pedem solução para atuação de vendedores ambulantes

Compartilhe

Associação de Senegaleses de Passo Fundo (ASPF), solicitou à Comissão de Cidadania, Cultura e Direitos Humanos (CCCDH) da Câmara, uma solução para a situação dos vendedores ambulantes. 

Segundo o presidente da ASPF , Aliou Thiam, os imigrantes que atuam nas ruas do centro da cidade, estão sujeitos a ação dos fiscais e da polícia, o que estaria dificultando o trabalho dos ambulantes. Ele explica que os imigrantes precisam trabalhar para enviar dinheiro aos familiares.

Para o secretário de Finanças, Dorlei Maffi, o município não pode incentivar uma atividade que é proibida por lei. Mas ofereceu ajuda aos imigrantes na reinserção profissional, entre outras medidas, já desenvolvidas, como os cursos permanentes de língua portuguesa aos estrangeiros.

De acordo com o professor Frederico dos Santos, representante do Fórum de Mobilidade Humana de Passo Fundo (FMHPF), os senegaleses começaram a chegar em Passo Fundo há pelo menos 10 anos. Desde então lutam para ingressar no mercado de trabalho. Muitos já fazem a diferença em indústrias, fábricas e no comércio.

O presidente da Comissão, vereador Saul Spinelli (PSB), deve marcar uma nova reunião, com a participação de todos os senegaleses para que tirem dúvidas e discutir soluções para aqueles que ainda estão no mercado informal.

Participaram da reunião, os vereadores Rudimar dos Santos (PCdoB), Eloí Costa (MDB), Pedro Daneli (PPS) e Rafael Colussi (DEM).

 

Leia Também Passo Fundo vai sediar Fórum O Rio Grande em Transformação Bolsonaro tem até 4 de outubro para vetar ou sancionar lei eleitoral Sete mil recém-nascidos morrem diariamente no mundo Frio e sol marcam o sábado dos gaúchos