Onyx diz que mulheres preferem armas do que a Lei Maria da Penha

Compartilhe
(Foto: Ilustrativa)   (Foto: Ilustrativa) 
O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, argumentou que algumas mulheres preferem andar com revólveres a terem "a folhinha da Maria da Penha" para se defenderem. A fala foi para defender os decretos assinados pelo presidente Jair Bolsonaro que flexibilizaram o porte e a posse de armas no Brasil.

"Tem mulheres que entre ter lá a folhinha da Maria da Penha ou um revólver ou pistola na bolsa, prefere ter um revólver na bolsa, porque isso garante a integridade dela. Esse é um exercício de direito que tem que ser respeitado", disse o ministro durante entrevista na última sexta-feira (10). 

Na terça-feira da semana passada (07), Bolsonaro assinou um decreto que flexibiliza o porte de armas no país e a compra de munições. Pelo texto, 20 categorias foram contempladas com a mudança na normativa, entre políticos e jornalistas, por exemplo. O documento, que entrou em vigor na quarta-feira (08), é alvo de questionamentos por integrantes da sociedade civil, do Judiciário e do Legislativo.

Onyx disse na entrevista que as críticas são alvo de ideologia e defendeu o direito de escolha do cidadão de se defender sozinho. "O que equipara um homem de 80 anos e 1,60 m e um homem de 20 anos e 1,80 m? O que dá equilíbrio? Só uma arma, mais nada", disse. "As armas foram inventadas para garantir a liberdade individual." 

*Folha

Leia Também Homem morre após colisão entre carro e ônibus em Três Passos Diário Oficial publica lei que inclui autismo nos censos do IBGE São 50 anos da chegada à lua: Nasa planeja enviar primeira mulher Petrobras baixa gasolina em R$ 0,03 e diesel em R$ 0,04