Prefeitos e vereadores poderão ter mandatos prorrogados até 2022

Compartilhe
(Foto: Divulgação)   (Foto: Divulgação) 
Os mandatos do prefeito Luciano Azevedo e dos vereadores em Passo Fundo, bem como das lideranças de todos os municípios brasileiros poderão ser prorrogados, caso seja aprovada uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC).
O projeto foi elaborado pelo deputado federal Rogério Peninha (MDB/PR), que propõe a unificação das eleições.  Pelo calendário atual, os mandatos se encerram no final do ano que vem e, se houver a mudança, os cargos seriam ocupados pelos atuais políticos até 2022.
Peninha afirma que a medida, se aprovada, garantiria uma economia de R$ 1 bilhão em 2020, apenas em relação ao primeiro turno. O texto da PEC cita que os valores economizados “poderão ser usados em serviços essenciais à população, tais como ensino, saúde e segurança pública”, mas não especifica um fim para a verba que não seria utilizada.
Com base na redação da PEC 56/2019, em 2022 haveria uma eleição unificada para os cargos de presidente, governador, senador, deputados, prefeito e vereadores. 
O presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Glademir Aroldi, vê com bons olhos a proposta, principalmente pela chance de acerto entre as diretrizes orçamentárias da União com outros entes federativos, a partir de um cenário com eleições gerais e municipais unificadas.
Após receber parecer favorável em duas comissões, a PEC ainda aguarda para ser colocada em pauta pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Leia Também "Fome no Brasil é uma grande mentira", diz Bolsonaro Bolsonaro diz que liberação de saques do FGTS precisa de ajustes Reunião na Câmara de Vereadores fala sobre cavalos em via pública Comissão Temporária sobre Obras no Aeroporto Lauro Kortz encerra atividades