Confira o que a arbitragem colocou na súmula do jogo Gaúcho x Brasil de Farroupilha

Compartilhe
Após o jogo do Gaúcho contra o Brasil, na BSBIOS Arena, incidentes foram registrados na saída de campo, rumo aos vestiários. Os fatos acabaram levando a delegação de Farroupilha ao Centro de Operações da Polícia Civil pela Brigada Militar, após encontrar a arma de um dos atletas visitantes escondida em uma bola de futebol.  
Na súmula, divulgada no início da tarde desta sexta-feira (31), o árbitro Leandro Martins citou agressão por parte de um dirigente do Brasil à arbitragem e inclusive a sua indagação ao atleta do Gaúcho sobre o fato de injúria racial na saída de campo.

CONFIRA O CONTEÚDO DA SÚMULA:

"Ocorrências / Observações
NADA HOUVE DE ANORMAL Motivo de atraso no início e/ou reinício, e de acréscimos: Motivos de acréscimos do primeiro tempo devido avaliação de lesão de atletas e por aguardar o técnico da equipe visitante ser retirado pelo policiamento por se recusar a sair após expulsão. Motivos de acréscimos do segundo tempo devido substituição de atletas e devido avaliação de lesão de atletas.

Observações Eventuais
Relato-vos que expulsei da área técnica o Sr Alexandre Fagundes de Menezes técnico da equipe Brasil de Farroupilha aos 36 minutos de partida após desaprovar acintosamente a decisão da arbitragem com gestos e proferindo as seguintes palavras ?? estão de sacanagem, fraco, vai pedir auxilio aos seus assistente para aprender apitar? o referido técnico havia sido advertido anteriormente aos 35 minutos de partida, o mesmo se recusou a sair sendo necessário auxilio da brigada militar para retirada do mesmo. Relato-vos que expulsei o Sr Adilson Ramos Barreto de camisa numero 10 da equipe do Gaúcho aos 97 minutos de jogo, após a segunda advertência de cartão amarelo, por dar um pontapé no atleta adversário de maneira temerária na disputa da bola. O referido atleta retirou-se de campo normalmente. Relato-vos que após o término da partida houve um tumulto envolvendo jogadores, comissão técnica e alguns dirigentes de ambas as equipes. O tumulto iniciou dentro do túnel de acesso ao campo e estendeu-se até a porta do vestiário da equipe do Brasil de Farroupilha. Não pôde ser verificado pela equipe de arbitragem maiores detalhes do que aconteceu no início do referido tumulto, tendo em vista o policiamento que fazia a segurança dos árbitros, determinar que a equipe permanecesse fora do túnel. Relato-vos que após a equipe de arbitragem acessar a parte interna do estádio, o gerente de futebol da equipe do Brasil de Farroupilha, Sr Alosir Sberse, portador do CPF XXXXX, no túnel de acesso ao vestiário, veio em direção a equipe de arbitragem com o dedo em riste ao quarto arbitro Sr Jandrei Krammes que estava na frente dos demais, proferindo as seguintes palavras ? isto que está acontecendo é culpa de vocês, seus fracos, vocês não pisam em Farroupilha ?? se referindo ao tumulto acorrido entre as equipes ao túnel de acesso aos vestiários. O referido gerente após ser contido pelo quarto arbitro, desferiu empurrões na altura do peito e barriga do quarto arbitro Sr Jandrei Krammes , o qual necessitou conte-lo com a mesma intensidade. A brigada militar necessitou intervir e conter o Sr Alosir Sberse. Relato-vos que no momento que a arbitragem foi acessar o vestiário, foi procurada pelo Sr. Fabiano Coutinho de Borba, técnico da equipe Sport Clube Gaúcho e pelo Sr. Gustavo Moura dos Santos de camisa numero 07, atleta da equipe do Gaúcho e informaram aos árbitros que avistaram nas mãos de atletas da equipe Brasil de Farroupilha, uma arma branca (faca) e uma arma de fogo. Contudo, não souberam informar de posse de quem estavam às armas. Após solicitação da diretoria do Sport Clube Gaúcho, o policiamento presente no estádio, deu início a uma revista individual em todos os membros e no material da equipe Brasil de Farroupilha. Foi encontrado pelo policiamento, dentro da caixa onde o massagista da equipe do Brasil transportava seu material, uma arma branca (faca), logo após, foi encontrado dentro da chuteira de um atleta do Brasil, 02 (dois) carregadores de pistola e algumas munições soltas, o policiamento então, adentrou ao vestiário e seguiu fazendo revista e lá encontrou uma bola cortada e dentro da bola estava uma pistola da marca Taurus, de calibre .380. Após questionar a quem pertencia o armamento, o Sr. Luis Carlos Vieira Junior de camisa n° 10, capitão da equipe do Brasil de Farroupilha, apresentou-se como sendo o proprietário da pistola, apresentou registo da arma, porém como não possuía porte de arma, o Sr. Luis Carlos Vieira Junior foi conduzido até a delegacia de polícia para ser apresentado à autoridade competente. Responsável pelo policiamento Sargento Jean onde passou-me as informações após revista. Relato-vos que após o término da partida, o atleta Sr Erik Cesar Tobias do Vale Amado de camisa numero 04 da equipe do Sport Clube Gaúcho, acompanhado de um diretor de sua equipe, procurou a equipe de arbitragem, no vestiário destinado aos árbitros e informou que, logo após o término da partida, ainda no campo de jogo, o atleta da equipe do Brasil de Farroupilha, de camisa número 06, Sr Gustavo Gomes Leal Cordova teria proferido a ele insulto racista proferindo em sua direção a palavra ?macaco?. Questionei o Sr Erik Cesar Tobias do Vale Amado porque não procurou a arbitragem tão logo o fato ocorreu, tendo em vista ter ocorrido dentro do campo de jogo e o atleta informou que não informou pois estava de cabeça quente. O Sr Erik Cesar Tobias do Vale Amado informou ainda que iria até a delegacia de polícia para registrar boletim de ocorrência contra o atleta Sr Gustavo Gomes Leal Cordova."    (Fonte: Súmula do jogo/ Site da FGF)

Leia Também Pattinare é destaque com 32 atletas de patinação no pódio em Santa Cruz do Sul Copa América: Brasil enfrentará o Paraguai Caratecas da UPF são ouro no Campeonato Sul-Sudeste PF City Futsal segue invicto em casa