Vereadores de município mineiro aprovam redução dos próprios salários de R$ 6 mil para R$ 1,2 mil

Compartilhe
Foto: Câmara de Arcos   Foto: Câmara de Arcos 

Vereadores de Arcos aprovaram a redução dos próprios salários, do prefeito e dos secretários: um fato que chamou a atenção dos moradores do município mineiro.

A Câmara Municipal aprovou esta semana dois Projetos de Lei que tratam da redução de salários no Legislativo e Executivo, para conter os gastos da cidade.

As propostas reduzem em 80% os salários de vereadores, 50% do salário para prefeito e vice-prefeito, e 20% dos salários dos secretários a partir da próxima legislatura, em 2020.

A redução

Atualmente, os vereadores recebem R$ 6.149,21 por mês. Com a aprovação do Projeto de Lei, a quantia cai para R$ R$ 1.229,84.

No Executivo, o salário para o cargo de prefeito baixa de R$ R$ 24.224,41 para R$ R$ 12.112,20.

O do vice-prefeito diminui de R$ R$ 6.458,90 para R$ 5.167,12.

Já os secretários municipais, que recebem R$ 7.975,66 ganharão R$ 6.380,52.

Segundo a Câmara, os novos valores vão valer de 2.020 até 31 de dezembro de 2024.

Prefeito aprova

O prefeito de Arcos, Denilson Teixeira, afirmou que vai sancionar o projeto.

“É uma pauta da Câmara de Vereadores e, assim que o projeto chegar na Prefeitura será sancionado e devolvido ao Legislativo”.

O vereador presidente em exercício da Câmara, Henrique Sabino Messias, do PSD, disse que a redução no salários dos parlamentares vai trazer economia aos cofres do município.

“Tendo em vista que a função de vereador não exige dedicação exclusiva, e como exemplo desta casa, todos têm outras funções remuneradas, vimos que essa redução não irá afetar ninguém. Cabe lembrar, que essa redução não será colocada em prática nesta legislatura”, disse Henrique.

Com informações do G1

Leia Também Preso em regime aberto, senador vai passar férias no Caribe Bolsonaro revoga decreto de armas e publica novas regras Há 15 anos, morria Leonel Brizola Rufa presta reconhecimento à entidade de ornitologia de Passo Fundo