SUS: nova técnica trata tireoide sem deixar cicatriz

Compartilhe

Pacientes do SUS agora têm acesso a um novo tratamento por radiofrequência para tratar nódulos de tireoide. O procedimento é pouco invasivo e ainda preserva a glândula.

A iniciativa inédita na América Latina foi implantada durante curso para cirurgiões da área da cabeça e pescoço, no Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE).

O curso foi ministrado pelo cirurgião Leonardo Rangel e pelo médico paulista Erivelto Volpi, que trouxeram a técnica ao Brasil.

Hoje, a Ablação por Radiofrequência é feita com sucesso no país, com uma diminuição do tamanho dos nódulos em 80% dos casos.

A nova técnica acaba de receber código no rol de procedimentos da Associação Médica Brasileira (AMB), prerrogativa para entrar na Agência Nacional de Saúde Suplementar e, assim, ser oferecida à população por meio do SUS e de planos de saúde.

Estima-se que quase 60% da população brasileira, cerca de 52 milhões de pessoas, podem desenvolver nódulos tireoidianos na faixa dos 50 anos, de acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

Sem marcas

A Ablação por Radiofrequência é capaz de eliminar o nódulo sem deixar qualquer marca.

O procedimento é feito com a introdução de uma agulha fina no nódulo, guiada por ultrassonografia e que age por meio de ondas de calor.

A prática evita cortes no pescoço e reduz consideravelmente o tamanho do nódulo, resultado visto já nos primeiros meses após a sessão.

Além disso, preserva as funções hormonais da glândula e evita eventuais doenças.

“Ela permite que você trate o nódulo sem retirar tecido tireoidiano, então isso virtualmente impede que a pessoa tenha hipotireoidismo. Você trata um problema, sem criar outro”, esclarece o médico e pesquisador da UERJ Leonardo Rangel.

“Esta é uma tendência mundial, já que não há necessidade de internamento, o paciente faz e vai embora no mesmo dia, a recuperação é mais rápida”, afirma o cirurgião.

(Fonte: UFRJ)

Leia Também Escola HC anuncia inscrições permanentes para novas turmas Hospital São Vicente comemora 101 anos com nova logomarca Médica esclarece sobre período de jejum antes da doação de sangue Pediatras pedem fim da exigência do Teste da Linguinha