Traído pela mentira

Postado por: Adalíbio Barth

Compartilhe

Cuidar de um pomar de frutas exige muitos cuidados especiais. Além do trabalho dedicado, necessita-se comprar muitos produtos recomendados para que forneça boas frutas. São os cuidados na adubação, na limpeza das ervas daninhas, a invasão de formigas, abelhas e aves. Cada espécie de aves e insetos procura tirar proveito de um pomar, conforme a sua natureza. Há muitos gastos para se produzir algo de qualidade.

Por tudo isso, o proprietário passa por momentos de humilhação, quando vê sua obra desprezada por pessoas inescrupulosas, levando frutas ainda verdes e quebrando galhos das árvores em formação.

Certa vez, o Cônego Bento encontrou um suspeito de haver levado muitas laranjas de seu pomar. Depois de revirar as frutas do cesto, o larápio, desconfiado, interveio prontamente:

- Essas laranjas eu ganhei de um amigo meu. De seu pomar eu nunca comi nenhuma!

Depois de expor a situação difícil por que estava passando, para cuidar do pomar, e fazendo-se bastante amigo de seu interlocutor, o Bentinho acabou filosofando em voz baixa, quase para si mesmo:

- Eu acho que vou arrancar todo o pomar, porque as laranjas que estou produzindo não prestam, são muito amargas.

- Ah! Eu não faria isso, seu padre! Elas são bem doces! - entregou-se o ladrão mentiroso.

Diz o ditado que “a mentira tem pernas curtas”. Para muitos, sempre foi mais fácil avançar nas coisas alheias, do que trabalhar para ter seus pertences e valorizá-los. A pessoa que rouba, perde toda confiança. E quando ninguém mais confia nela, fica sobrando, perde todos os amigos, torna-se um perigo na sociedade. Preservar a honra, ter caráter, dignifica e glorifica a pessoa humana.

Leia Também Sínodo Empregador em foco: Gestão Empresarial e a diminuição de risco trabalhista. O Fusca do padre De quem aceitar críticas