Funcionários da Havan protestam contra Sindicato dos Comerciários por não firmar acordo com empresa

Compartilhe
Os funcionários da Havan de Passo Fundo realizaram protesto na manhã desta quinta-feira, 13, em frente ao Sindicato dos Comerciários, na Rua Morom, no Centro de Passo Fundo.  A manifestação foi contra justamente a entidade, pedindo que ocorra a assinatura do acordo.
Segundo os trabalhadores, falando à reportagem da Rádio Planalto News (FM 92.1), eles não se opõem a trabalhar em domingos e feriados, pelo contrário, por serem os dias de maior movimento. “Queremos trabalhar”, diziam os manifestantes.
O protesto da manhã foi em repúdio  pelas últimas decisões do Sindicato dos Comerciários, referente ao não fechamento da convenção do acordo firmado anteriormente, quando alguns benefícios foram exigidos pela entidade para a abertura da Havan e, neste momento, conforme os trabalhadores, tais aspectos estão sendo desconsiderados.
A convenção estabelecida venceu em 08/06/2019. Foi distribuída pelos trabalhadores uma carta de repúdio, com abaixo-assinado.  Nessa afirmam: “Queremos apenas manter o que o próprio presidente do sindicato laboral exigiu da empresa e agora não quer mais cumprir com o acordo, sendo salário-base maior do que a categoria, vale-alimentação, adicional por domingo trabalhado, adicional por feriado trabalhado e PPR.

A VERSÃO DO SINDICATO DOS COMERCIÁRIOS
O presidente do Sindicato dos Comerciários, Tarciel da Silva, esteve no programa Comando Popular, dando a versão da entidade, em entrevista para o apresentador Patric Cavalcanti. Segundo o dirigente, foi votada uma proposta da categoria. "Não podem dizer que o Sindicato se omite!"
Conforme Tarciel, a entidade está convocando uma assembleia para o dia 27 de junho. 

Leia Também Na Planalto News, secretário fala sobre as obras do passeio público na Avenida Brasil e nos bairros de Passo Fundo Semáforo será instalado no Bairro Vera Cruz Ajuda Humanitária integra Exército, empresas e profissionais venezuelanos Vereador Patric solicita à Justiça a devolução imediata de área da Manitowoc