Sindilojas Passo Fundo e Sindicato dos Comerciários se manifestam sobre questão da Havan

Compartilhe

O advogado José Mello de Freitas, do Sindilojas Passo Fundo, esteve no programa Comando Popular, da Rádio Planalto News (92.1) para tratar da polêmica que se estabeleceu com os trabalhadores da Havan e o Sindicato dos Empregados no Comércio de Passo Fundo.

Os funcionários da empresa realizaram protesto na quinta-feira passada e também na manhã desta segunda-feira, 17, em frente à entidade sindical, reivindicando que o presidente Tarciel da Silva assine a validade da convenção.

O protesto da manhã foi em repúdio  pelas últimas decisões do Sindicato dos Comerciários, referente ao não fechamento da convenção do acordo firmado anteriormente, quando alguns benefícios foram exigidos pela entidade para a abertura da Havan e, neste momento, conforme os trabalhadores, tais aspectos estão sendo desconsiderados. A convenção estabelecida venceu em 08/06/2019.  Segundo o advogado José Mello de Freitas, em anos anteriores as negociações estavam sendo efetivadas com a devida antecedência junto à entidade comerciária.

Por exemplo, sobre o funcionamento do comércio em domingos e feriados, há um acordo tácito (não escrito), que vem sendo respeitado ao longo dos anos, que as empresas vêm cumprindo e com o sinal verde por parte do Sindicato dos Empregados no Comércio. As empresas são obrigadas a pagar 100% de horas extras no domingo e feriados (no máximo 6 horas trabalhadas) e ainda precisam conceder um dia de folga.

Segundo Freitas, tudo o que tem sido tratado com o presidente do Sindicato ao longo dos anos, ele tem cumprido perfeitamente. Os problemas surgiram com a chegada da rede no ano passado.


SINDICATO SE MANIFESTA

O Sindicato dos Comerciários de Passo Fundo, que é presidido por Tarciel da Silva, divulgou nota nesta segunda-feira, 17, sobre o assunto. A nota tem o título de "O Sindicato é radical na defesa de toda a categoria".  Foi convocada uma assembleia por parte da entidade para os seus associados no dia 27 de junho, às 18h30, no Requinte Restaurante.

A nota divulgada nesta segunda-feira consta dos seguintes termos:

O material publicado consta dos seguintes termos:

"O sindicato, referendado pelas assembleias, defende as seguintes propostas na negociação:

1. RENOVAÇÃO DE TODAS AS CLÁUSULAS DA CONVENÇÃO COLETIVA DE

2018

(garantia de 100% nos domingos e feriados de 6 horas + 1

folga, contrato de trabalho de no mínimo 60 dias, hora-extra

de 60%, não permite banco de horas, entre outros);

2. AUMENTO REAL DOS SALÁRIOS (7%);

3. HOMOLOGAÇÕES DAS RESCISÕES NO SINDICATO

(garantia nas demissões).

A patronal (SindiLojas) propõe que o Sindicato do Comerciários concorde em aceitar os termos acima

apenas para uma loja, enquanto os outros 12 mil comerciários ficarão sem garantia de nada disso.

A empresa que está sendo beneficiada pela patronal, tenta jogar os trabalhadores contra toda a

categoria. A Data-Base do varejista venceu em 31 de março de 2019. No dia 06 de junho, a assembleia

geral dos comerciários votou a não abertura nos feriados até que esteja fechada a Convenção Coletiva.

Por outro lado, a patronal (SindLojas) quer fechar uma Convenção vazia, onde não temos garantia de

nada. Ela propõe o fechamento de acordos separados, tentando destruir com a Convenção Coletiva

assinada no ano passado.

Na imprensa, a voz que se ouve é somente o da patronal, não somos radicais, nosso trabalho é não

entregar nossos direitos. Não podemos fechar acordo em separado como deseja o SindiLojas, porque

isso só beneficia a patronal. NOSSA RESPONSABILIDADE É COM TODA A CATEGORIA.

Não podemos pensar isoladamente as negociações, os trabalhadores precisam pensar coletivamente

a luta pelos direitos trabalhistas. Serve apenas à patronal a divisão dos comerciários, o sindicato é

apenas o instrumento dessa luta. No ano passado, várias “autoridades” aplaudiram o fechamento da

Convenção Coletiva, onde estava previsto vantagens para todos os trabalhadores."



ACOMPANHE A ENTREVISTA DE PATRIC CAVALCANTI COM O DR. JOSÉ MELLO DE FREITAS, ADVOGADO DO SINDILOJAS PASSO FUNDO (áudio)

 

 

 

 

 

Leia Também Na Planalto News, secretário fala sobre as obras do passeio público na Avenida Brasil e nos bairros de Passo Fundo Semáforo será instalado no Bairro Vera Cruz Ajuda Humanitária integra Exército, empresas e profissionais venezuelanos Vereador Patric solicita à Justiça a devolução imediata de área da Manitowoc