Médica esclarece sobre período de jejum antes da doação de sangue

Compartilhe

A maioria dos exames de sangue não necessita de jejum de doze horas antes da coleta laboratorial. EsSa notícia pode ser positiva para quem gostaria de optar por horários alternativos para a coleta de exames, como por exemplo o horário de almoço ou após o expediente.

 

Por isso, o conhecimento sobre as exigências do exame a ser realizado é fundamental para auxiliar na flexibilização dos horários para coleta laboratorial e oferecer praticidade na rotina diária. “O jejum não é necessário para a maioria dos exames de sangue, entretanto recomenda-se que as refeições que antecedem as coletas de sangue sejam leves e, se possível, jejum de 03 a 04 horas antes da realização da coleta.  Entre eles destacam-se o hemograma, a análise dos hormônios tireoidianos T3 e T4 e o teste de gravidez, flexibilizando a ida do paciente ao laboratório para coleta dos mesmos, pois não necessariamente precisa ser na primeira hora da manhã, onde geralmente o movimento é mais intenso e o tempo de espera maior.” esclarece a responsável técnica pelo Laboratório de Análises Clínicas do Hospital de Clínicas (HC) de Passo Fundo, Sinara Guzzo Chioquetta. Para fornecer mais praticidade e comodidade o LabHC disponibiliza horários alternativos para coleta de exames laboratoriais de segunda a sexta-feira das 07h às 19h, sem fechar ao meio-dia.

 

Em alguns casos, o jejum de 12 horas pode não ser necessário. “Habitualmente o jejum de 12 horas é uma exigência para a coleta e realização de exames que avaliam perfil lipídico como triglicerídeos, HDL, LDL e de 08 horas para realização do exame de glicemia para que sejam eliminados interferentes que alteram os resultados no momento da dosagem. A Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML) entende que a questão acerca da necessidade ou não do jejum para coleta do perfil lipídico ainda se encontra em fase de discussão.” esclarece Sinara, que possui formação na área de farmácia e bioquímica.

 

A responsável técnica pelo LabHC explica ainda quando o jejum é importante para a realização dos exames e como a ingestão de alimentos pode interferir nos resultados: “Os exames laboratoriais podem sofrer alterações e não revelar com fidedignidade o estado clínico do paciente se não forem considerados os interferentes da alimentação no momento da coleta. A concentração de substâncias a serem dosadas na amostra pode variar de acordo com a ingestão de alimentos, como o exemplo da glicose e dos triglicerídeos. Nesses casos, o tempo de jejum deve ser informado para que a análise seja adequada ao estado da amostra e a informação da variabilidade, se houver, chegue até o médico solicitante.” salienta Sinara Chioquetta.


Créditos: Natieli Batistella/HC

Leia Também Hospital Municipal tem processo seletivo para farmacêutico bioquímico e técnico em radiologia Saúde em Debate: dormir bem pode influenciar no processo de emagrecimento Administrador do HC participa de agenda com o presidente da República Novembro Azul alerta para câncer de próstata em cães e gatos