Tempo medido e tempo de graça!

Postado por: Ari Antônio dos Reis

Compartilhe

Estamos entrando na segunda metade do ano de 2019. Para alguns o ano tem passado rápido. Outros esperavam mais celeridade ainda. Contudo, o tempo segue seu curso normal. A celeridade ou a demora dependem da impressão de cada um e esta é diversa como são diversificadas nossas percepções dos fatos e das coisas.

O tempo pode ser compreendido como “cronos”, ou seja, o tempo que segue medido pelo relógio. Segue o critério das horas, dias, meses e anos. Também pode ser compreendido como “kairós” quando acontece algo de importante na vida da pessoa. É o tempo oportuno para algo. Não é controlado. É vivido na relação com o mundo.

 Em ambos os casos, a pessoa é desafiada a ser protagonista, sabendo organizar-se nele, buscando viver as oportunidades dadas.

Se tomarmos a perspectiva cronológica, teremos alguns meses até o final do ano. Nestes meses, busquemos fortalecer a fé e a coragem na força do Espírito Santo para a jornada neste tempo que deve ser de graça e encontro com o amor do Pai.

Façamos deste tempo um “kairós” em nossas vidas, a oportunidade de sermos mais, de darmos mais.

Segundo o calendário litúrgico católico, estamos no Tempo Comum, ano C. Neste tempo, celebrado em ritmo diário e semanal, somos convidados a mergulhar no mistério de Jesus Cristo, conhecendo mais profundamente sua proposta apresentada à comunidade pelas palavras do evangelista Lucas. Ele quis descrever de forma organizada a vida e missão de Jesus para as comunidades de seu tempo com o objetivo de fortalecer a fé dos homens e mulheres iniciados na fé cristã.

Nas celebrações dominicais vamos refletir as diferentes passagens do evangelho de Lucas na perspectiva de compreender a proposta do Filho de Deus e nos engajar no seu seguimento. Uma das chaves de leitura para compreendermos este evangelho, é a ideia da visita.  Em Jesus, Deus está visitando seu povo.  Uma visita que trouxe alegria e satisfação, porque a vida se renovou (cf. Lc 7,16).

Em nosso tempo, possamos acolher esta visita com o coração aberto, sabendo que ela nos fará muito bem. Será para nós um tempo de graça!

Leia Também Matam a educação pública, aos poucos! A periferia como lugar de atenção da Igreja Católica de Passo Fundo Orgulho Gaúcho O que é um Seminário?