Ambição derrotada

Postado por: Adalíbio Barth

Compartilhe

Cônego Bento tinha como “hobby” jogar umas partidas de bolão. Costumava jogar de graça.

A cancha sempre reunia gente de todos os lados. Certo jogador, vindo ali pela primeira vez, encontrou o Bentinho. Era franzino e aparentava não ter muita força nas jogadas. E um senhor robusto, de jogadas fortes, campeão em outras localidades, desafiou-o de pronto:

- Jogo uma com o senhor, por dez!

- Não jogo por dinheiro e contigo jogo até de canhota!

O olhar do desafiante, com a cabeça meneando, demonstrou que a provocação era demais.

- Tá feito!

E começou a partida. As bolas jogadas pelo Bentinho iam rolando certeiras, derrubando os nove palitos. E o adversário já se encontrava nervoso, porque a torcida lhe era contrária.

O resultado final foi uma incontestável vitória do Bentinho. Neste dia “seu” Fiorese ficou sabendo que o Bentinho nasceu canhoto e nunca havia feito jogadas com a direita.

Todos gostam de jogos esportivos. Cada um tem sua preferência e dons próprios. Jogam por divertimento ou por necessidade física. Outros, todavia, entregam-se aos jogos de azar, pensando enriquecerem facilmente com as promessas das mais diferentes loterias.  Comprometem o orçamento familiar, causando desunião e arruinando muitos lares. Qual o valor que se deve dar ao esporte, ao lazer e à recreação? Quais as consequências dos jogos de azar, como as loterias, com incentivo oficial?

Leia Também Curiosidades sobre o Fusca Como fica o Congresso após a aprovação da Reforma da Previdência? Com sapato ou sem sapato O bom samaritano