Cotrijal e associados afinados para a próxima safra

Compartilhe

Na área da Cotrijal é comum cruzar com agricultores que produzem acima dos 190 sacos de milho por hectare. Francisco Schreiner, de Pinheiro Marcado, Carazinho, é um deles. Para a safra 2019/2010, o associado já definiu lavoura: 30% da área será destinada para o cereal. “Além da boa palhada, quebra ciclo de doenças na soja. A expectativa é colher acima dos 220 sacos/ha”, afirmou.

A menos de dois meses do início da semeadura da safra de verão, a Cotrijal chamou especialistas para traçar um panorama do mercado de grãos e reforçar a importância de incluir o milho no sistema de produção. “O milho é excepcional. Deixa uma boa palhada no solo e faz soja render de cinco a sete sacas a mais por hectare. Todos os grandes campeões de produtividade plantam milho. Por isso, incluam o cereal no planejamento da lavoura que vocês não vão se arrepender”, pontuou o engenheiro agrônomo, pesquisador e consultor técnico, Sérgio Schneider. 

No Estado, a ausência do milho no sistema de produção vem trazendo reflexos negativos da soja. Além da maior presença de buva e a ocorrência de mofo branco, a presença indesejada de pragas como o tamanduá-da-soja. “O produtor precisa repensar estratégias. O milho, quando bem manejado e clima favorável, é garantia de rentabilidade e colabora para a saúde do sistema”, ressaltou o pesquisador. 

“Para seguir com boas produtividades é fundamental olhar o sistema como um todo”, destacou o presidente da Cotrijal, Nei César Manica, ao abrir evento técnico para produtores nesta quinta-feira, 18, no parque da Expodireto Cotrijal, em Não-Me-Toque. 

É o que faz Miguel Maldaner, de Tapera. Na última safra, ele colheu média acima dos 228 sacos/ha no milho. “O milho deixa a lavoura mais limpa até para plantar um trigo. A lavoura de soja também fica mais sadia e rende mais”, justificou. No verão, a intenção é ampliar área com o cereal. 

Mercado de grãos
Ao falar sobre perspectivas e cenários de mercado para a safra 2019/2020, Anderson Galvão, da Celeres Consultoria, recomendou aos produtores ficarem atentos ao desenrolar da safra americana e ao câmbio. “O mercado de grãos vai depender do que acontecer daqui para frente. Por isso, é fundamental o produtor planejar bem a sua lavoura, fazendo rotação com milho, onde for necessário, para garantir custos de produção e rentabilidade”, afirmou.

No mercado de milho, a expectativa é de bons resultados para o produtor gaúcho, em função da redução na área plantada americana. Já na soja, mesmo com eventual quebra do estoque global e quebra nos EUA, o volume em estoque ainda será relevante. Seguindo, portanto, a tendência de preços mais estáveis. 

Eventos técnicos – Produtores da região de Lagoa Vermelha também foram contemplados com palestras dos especialistas na quarta-feira, 17. Eventos técnicos tiveram a parceria da Corteva e atraíram mais de 250 participantes. Também prestigiaram eventos profissionais das áreas de Produção Vegetal, Comercial e Administrativo-financeira e gerentes de unidades. 

Fonte: Assessoria de Imprensa da Cotrijal 

Leia Também SLC Máquinas forma primeira turma de mulheres para operação e ajustes de tratores Quinta-feira é Dia de Campo na Sementes Webber em Coxilha Encontro de Mulheres Cooperativistas da Cotrijal reúne mais de duas mil participantes Semana começa com o IV Encontro das Mulheres no Meio Rural