Padres

Postado por: Dom Rodolfo Luís Weber

Compartilhe

No dia 04 de agosto é celebrado o “Dia do Padre”, tendo como referência a celebração de São João Maria Vianney, canonizado pelo Papa Pio XI em 1925. Ele nasceu em 1786 e foi ordenado padre em 1815 e partir de 1819 até a sua morte em 1859, foi pároco na aldeia de Ars, na França. No seu tempo e no seu contexto exerceu o ministério presbiteral com incansável dedicação gerando profundas mudanças na vida espiritual, eclesial, nos costumes e no atendimento aos pobres na aldeia de Ars. Sua fama se espalhou pelo mundo e os peregrinos iam lá para ouvi-lo, confessar-se e vê-lo.

 Em 1929 o padre São João Maria Vianney foi proclamado patrono dos párocos e através dele quero homenagear todos os padres de nossas paróquias da atualidade. Convido a comunidade católica, especialmente neste domingo, a manifestar o seu carinho pelo padre. Eles estão presentes nas grandes cidades e nas pequenas. Realizam a sua missão de múltiplas maneiras, algumas delas tem maior visibilidade como a presidência dos sacramentos; mas a maioria das ações são silenciosas e quase invisíveis. Visitam e confortam, com a Palavra de Deus e os sacramentos, os doentes. Acolhem, ouvem e orientam indivíduos e famílias; ouvem confissões e administram a graça do sacramento do perdão. Dedicam horas para confortar famílias enlutadas anunciando-lhes a esperança da ressurreição.

Normalmente vemos aquilo que o padre faz, porém não podemos esquecer o que vem antes, o que o sustenta e o sentido das atividades. A Igreja Católica acredita que o padre é uma pessoa vocacionada. A vocação se identifica com a própria realidade da pessoa: a constitui e a define. Podemos dizer que é o resultado de chamado e de resposta. É Deus que chama e só Ele pode entrar na vida do ser humano com sua voz imperiosa; só Ele pode propor a alguém um destino que toca toda sua vida.

A escolha vocacional não se situa entre uma mais fácil e outra mais difícil. Uma opção é positiva quando a escolha do caminho foi feita livremente. A escolha o conduziu a um modo de viver, ao exercício de determinadas atividades. Os padres acolheram o chamado de Deus para serem e viverem deste modo com suas virtudes, qualidades, limitações e fraquezas. Para fazer a escolha abriram mão de outras opções para seguirem com liberdade e plena consciência os passos do mestre Jesus Cristo e partilhar da Sua vida. É um ato de fé e de comunhão com o projeto de Jesus Cristo, denominado de Reino de Deus.

O seguimento gera responsabilidades para o padre que são sintetizadas em três grandes áreas. A primeira e a fundamental é anunciar o Evangelho, despertando a fé e o seguimento de Jesus Cristo e a formação da Igreja. A segunda é santificar o Povo de Deus. O padre é um homem ligado ao sagrado. Munido pelo poder recebido no sacramento da Ordem, ele torna-se ministro e servidor das coisas que se referem a Deus para o bem das pessoas. E a terceira missão do padre é conduzir e orientar a comunidade eclesial. Agregar as pessoas, fortalecendo-as e animando-as na vivência cristã. A realização vocacional do padre ocorre na abertura para os outros, no exercício daquilo que lhe é próprio.

Ser padre é uma construção cotidiana que é feita na intimidade com Deus, na comunhão com a Igreja e no zeloso exercício ministerial. O padre passa a vida inteira, cotidianamente, respondendo ao chamado e reafirmando a escolha radical feita num momento de sua vida.

Parabéns a todos os padres e que Deus os abençoe!

Leia Também Símbolos do Natal Seu Adolpho Sobre a educação Quando começar o trabalho?