"Toca, Raul": há 30 anos, partia o rei do rock brasileiro!

Compartilhe

Um dos cantores de rock mais populares do Brasil, Raul Seixas teve uma trajetória de ascensão e queda que o levou à morte no dia 21 de agosto de 1989. São 30 anos de sua morte nesta quarta-feira.

Do menino que amava Elvis Presley ao cantor que influenciou vários artistas, a reportagem mostra histórias de pessoas próximas a ele que ajudaram a contar quem era o Raul Seixas por trás dos palcos. No programa, o cantor Jerry Adriane, que faleceu há dois anos, lembrou de como Raul gostava de imitar o ídolo da juventude. “Era muito engraçado, porque quando tocava comigo, ele cantava imitando o Elvis”, diz o amigo.

Raul Seixas  considerado um dos pioneiros do rock brasileiro
Cláudio Roberto, que compôs "Maluco Beleza" com Raul Seixas, conta como foi difícil ver a decadência do roqueiro. Quando soube da morte do amigo, sabia que havia perdido uma parte de sua própria história. "Meu amigo, o cara que tinha sido minha referência na vida durante muito tempo...", diz, sem conseguir concluir, emocionado.

Raul Seixas morreu aos 44 anos, vítima de uma parada cardíaca causada pelo alcoolismo e agravada pelo fato de ser diabético e não ter tomado insulina na noite anterior. Os gritos de "toca Raul!", ouvidos em festas e shows Brasil afora, são uma evidência de que o cantor e compositor baiano permanece bem vivo na memória do público. Tanto é que, em função do aniversário de morte, o artista vem recebendo diversas homenagens em formato de shows, livros, filme, musical e disco.

Até hoje é comum em bares ou em danceterias, o público pedir: "Toca, Raul!", recordando dos sucessos do cantor

Leia Também Semana Farroupilha: chama crioula chega a Ernestina Inaugurado o galpão crioulo da APAE em Passo Fundo Escolas municipais recebem delegações da Danzpare Brasil Passo Fundo está no embalo do Danzapare Brasil 2019