Sequestrador do Rio de Janeiro era viciado em internet

Compartilhe
Willian Augusto da Silva, 20, era introspectivo, vivia na internet, tinha dificuldades de se relacionar ao vivo e  sofria de depressão, relataram à polícia do Rio de Janeiro parentes do homem que sequestrou um ônibus e, por quase quatro horas, manteve 37 pessoas reféns no veículo, parado sobre a ponte Rio-Niterói, na manhã dessa terça-feira (20).
 
Os relatos também foram feitos a alguns dos reféns. O auxiliar de cartório Robson de Oliveira, que pega o ônibus da linha 2520 todos os dias no mesmo horário para ir ao trabalho, disse ter tido contato com um primo do sequestrador, que pediu desculpas em nome da família. 
 
Natural de São Gonçalo, Silva morava no bairro de Jardim Catarina com os pais, ele padeiro e ela cuidadora de idosos, segundo depoimento à polícia.
Era de São Gonçalo que partia o 2520, o mesmo ônibus em que ele embarcou na manhã desta terça. Mas o veículo da Viação Galo Branco não chegou ao destino, o Estácio, na região central do Rio. Por ordem do sequestrador, ficou atravessado na ponte Rio-Niterói.
 
No momento do crime, Silva carregava na mochila, além da pistola de brinquedo, da faca e do taser (arma de eletrochoque) usados no sequestro, uma biografia do escritor Charles Bukowski, nascido na Alemanha, mas naturalizado americano, e conhecido por obras de caráter obsceno. 
 
Sua mãe, Renata Paula da Silva, declarou que o filho era ansioso, introspectivo e tomava remédios. Em janeiro, em uma festa de família, ele teria relatado sua condição emocional aos parentes. Segundo um primo, identificado como Alexandre, tratava-se de um quadro depressivo.

Na véspera do sequestro, Silva deixou a casa dos pais e foi até a casa da avó. Retirou as garrafas onde colocou gasolina usada para ameaçar incendiar o ônibus. Em nenhum momento, contudo, o sequestrador foi violento, disseram reféns à polícia. Repetiu diversas vezes que não queira machucar ninguém e que não queria o dinheiro das pessoas no veículo.


Fonte: Folha Press

Leia Também Sete mil recém-nascidos morrem diariamente no mundo Frio e sol marcam o sábado dos gaúchos Ministro Onyx Lorenzoni concede entrevista exclusiva à Rádio Planalto News Senado questionará ação da PF em gabinete de líder do governo