Carnaval de Rua 2020 com temas definidos em Passo Fundo

Compartilhe

A Prefeitura de Passo Fundo, depois de vários encontros com a Liga das Escolas de Samba de Passo Fundo, anunciou nesta terça-feira que estará ao lado das Escolas de Samba para viabilizar o carnaval de rua de 2020. Como ocorre desde 2014, porém, não haverá destinação de recursos públicos para as escolas de samba.

O evento deve ocorrer na noite do dia 1º de março, na Avenida 7 de Setembro. Segundo a LIESPF, representada pelo seu Presidente Felipe Machado, estão aptas a participarem do desfile as Escolas Acadêmicos da Chalaça, União da Vila, Pandeiro de Prata, Academia de Samba Cohab 1. 
Entre as prioridades de cada uma das partes ficou definido que o Poder Público, através das Secretarias de Cultura, de Gestão e de Captação de Recursos, participará ativamente da busca de parceiros privados para que esta manifestação da cultura popular volte à sua programação normal dentro do calendário anual de festas populares. 

A estrutura operacional para o carnaval já faz parte das ações culturais do calendário da Secretaria de Cultura, que apoia cerca de 60 eventos por ano. A Liga das Escolas de Samba estabeleceu seu calendário de captação de recursos com o apoio da Prefeitura atuando em duas frentes: a busca de recursos diretos com a realização de eventos e a utilização da lei federal de fomento à cultura através da Lei Rouanet, projeto já aprovado e disponível. 

A responsabilidade de colocar as quatro escolas na Avenida será do carnavalesco Ramon Gadenz – escolhido pela Liga – que tem vasta experiência na organização e criação de enredos de carnavais pelo Rio Grande do Sul e outros estados com a definição do tema  “NOSSAS ORIGENS: ÍNDIO ,NEGRO, EUROPEU. PASSAGENS DE LUTA E PROGRESSO.OLHOS PARA O FUTURO!”  

As Escolas vão desenvolver as temáticas escolhidas pelo carnavalesco,  cada uma com o seu próprio samba-enredo de acordo com os quatro ciclos da história de Passo Fundo. Um enredo que começa com índios da nação Tape, a redução jesuítica de Santa Teresa aqui erguida 50 anos antes dos 7 povos das Missões, os bandeirantes, terra de passagem dos tropeiros e os primeiros ranchos. Depois, a chegada dos primeiros colonizadores, seus escravos, suas crenças, o desenvolvimento do povoado que nasce sob as bênçãos de Nossa Senhora da Conceição. A chegada dos imigrantes que dão vida à indústria e ao comércio e, por fim, os ciclos econômicos do couro, do charque, da erva-mate, da ferrovia, a agricultura e o desenvolvimento até a chegada do biodiesel.  

E são com fragmentos assim que o carnavalesco Ramon Gadenz apresenta cada um desses ciclos, que estão em sua versão original em anexo.  

Tema Enredo 1ª Escola :     Sob As Bênçãos de Santa Teresa. Em Águas de Goyen, Bandeiras em Ygaí! 

“Nas terras, nas matas e nas águas da Vila de Nossa Senhora da Conceição do Passo Fundo, surge a civilização de Goyen. A fama da Missão Jesuítica de Santa Teresa, que aqui foi erguida em 1632, 50 anos antes dos 7 Povos das Missões,  tal como cidade perfeita ou o novo paraíso, cortou as terras dos pampas e despertou a insanidade do sertanista bandeirante, que surgiu sorrateiro, ávido pelo mesmo gado e pelo mesmo índio civilizado.
Depois vieram os tropeiros que faziam pousada no rio fundo que se tornou passo , e das lembranças do passado e embalados pelas águas do presente preserva-se as águas que estão por vir; Com a alma guarani, nos tornamos verdadeiros guerreiros, defensores da nossa cultura, carregando nos próprios ombros as madeiras, pedras e tijolos que manterão firmes os alicerces das nossas raízes e erguer, com o suor da nossa memória, a Santa Redução de Teresa indestrutível da nossa história.”

Tema Enredo 2ª Escola : Planalto Negro, De Onde Vim Não Existe Mais. Passo Fundo Quilombos de Ancestrais!

 “A religião e a fé em nossos ancestrais. A história viva do continente africano e suas diásporas. Tantos arrancados do ventre da Negra Mãe da Humanidade. Antes livres e bravos, agora míseros escravos; sem luz, sem lar, sem amplidões. Atravessando o inferno mar... De onde vim, não existe mais! Sob a chibata de Cabo Neves chegamos a esse chão. E na terra, por Neves doada para a Capela sob a invocação de Nossa Senhora da Conceição Aparecida em 1827, e a terra se desdobra, cresce, evolui, se renova, a ferro, fogo e escravidão. Mas nos planos divinos, surge nova terra, cultivada à força da oração. É o tal sincretismo, mistura sagrada, faz da reza um canto, e de Nossa Senhora da Conceição Aparecida: Mamãe Oxum! 
... águas de benzer, águas para banhar... águas que caem em lágrimas da Negra Mãe Mariana para todo o sempre o místico chafariz eternizar.
É ancestralidade Negra que revela que os Quilombos da Independência, Vila Luíza e Boqueirão.  Da nossa forma o Bumba-Meu-Boi, Festa do Divino ,  São Miguel Arcanjo  forja-se a África passo-fundense. Embalando o templo Negro Visconde do Rio Branco e seus ramos que durante décadas na Avenida brotando Escolas em lindas flores. As nova faces da negritude passo-fundense, lançou-se junto com a cidade, rumo ao progresso; respeitando a todos os irmãos desse chão. Vivendo o presente, e ansiando um futuro de unidade, paz e justiça.”

Tema Enredo 3ª Escola : Do Além Mar Ao Torrão Alcandorado, Passo Fundo A Arca Do Mundo!  

“  Novo mundo sonhar, o mar atravessar, migrar e uma cidade transformar. São culturas, cores, cheiros e sons à nossa terra incorporar. E o imigrante  encontra em Passo Fundo a Cidade de sonhos, livre, gigante e altaneira, que viram fantasias em nosso Carnaval, vôo alçou.
E vão chegando todos imigrantes na arca do mundo! A grande arca Passo Fundo, guardadora de todos os tesouros humanos vindo além mar.São sons, cheiros e objetos a colorir a cidade. Como uma pedra preciosa, os pioneiros alemães chegam para a cidade lapidar. Enfrentaram o desafio de se antecipar e plantaram os frutos da Alemanha, misturando tudo isso, nessa cidade que tudo mistura. Lá Vou... Lavourar... Peço a Deus pra ajudar... Venham depressa pra rua, a lá Comédia Dellárte chegam em nossa terra os imigrantes italianos "Trupe de Vila VIictório Venetto". Aproveitando as águas da cidade que as carrega na origem, as puseram a girar, através de roda d’água os primeiros moinhos.Desenvolveram a civilização da madeira bruta.  
Traz a Arca do Mundo os árabes! Yalla... Assim se descortina em nossa cidade, na Praça Marechal Floriano, chega o povo árabe, onde os halakis - contadores de histórias, ainda nos encantam. Se instalam na Avenida Brasil e surge um novo comércio, vendiam de um tudo, tudo no fiado. Eu perco tudo, mas não perco o freguês, a herança da arte de negociar se encontra nos saberes e sabores dos temperos coloridos.E ao longo do tempo ,  Judeu, Espanhol, Polonês, Português, Senegalês, Chinês e imigrante de tudo que é canto, nesse recanto desembarcar...  imigrar realmente é reencontrar novos mundos que aqui se transformou, agora voa para modernidade. Tecnologia e comércio fazendo a babel de todas as raças, o futuro prosperar!

Tema Enredo 4ª Escola : Dos Tropeiros ao Biodiesel, Uma Economia a Girar!

“ Em estradas do tempo, em meio ao Sul do Brasil, entre tropeiros, couro e charqueadores, uma nova era nessas plagas se inicia. São os ciclos econômicos a girar. É rota de comercio aberta, “plantando” legados nesse solo fecundo, soprando nas terras do Passo Fundo a “colheita” para todo mundo. O povo maravilhado contemplou as maravilhas que o tropeiro relatou: arroz, trigo e milho neste solo a agricultura fecundou. Revelando segredos e tantas magias, que o mundo encantou.
 O mestre cervejeiro anuncia ...  Vem sentir o sabor da Serrana, produzindo a loura pitoresca Gaúcha. E de tonéis  vindos do Amazonas, trazendo o fruto com o formato dos olhos de Tupã, produziu o Guaraná, fonte de energia vital! E a Limonada Gasosa, com o limão da nossa região.
O ouro que reluz aqui por essas bandas é o verde! Verde da Erva-Mate da Deusa Caá-Yari, protetora desses ervais e de toda raça Guarani. O tesouro vem do verde da mata, brotando em madeiras, árvores-mães dadivosas que aleitam aos que lhe derrubam com a serra e o aço dos facões, abrindo chagas no seu seio nu. Ciclo de contrastes, terra de esperança, sonhos e verdades, dois lados da moeda, sonho doce, dura realidade no vai-e-vem pelos trilhos do trem...
Pelos trilhos do progresso ,  desembarcam os Caixeiros Viajantes.  E entre um ciclo e outro emergem das páginas da história: Tormentas e revoltas a revolução. Cenário de Farrapa guerra, vistes Bento Gonçalves, David Canabarro, Garibaldi com seu filho nos braços de Anita, montar acampamento farroupilha por essas terras. Republicanos (Chimangos) contra Federalistas (Maragatos) e Passo Fundo local estratégico de passagem para as Missões viu-se envolvida diretamente na Revolução Federalista , e aqui no campo do Pulador selando a sorte dos Federalistas, o último capítulo desta cruel guerra entre irmãos.
                   O ciclo, que faz a economia da cidade girar agora, é o que traz a revolução da soja. Lavoura de sonho. A roda da fortuna começou a girar no nosso chão: as usinas de Biodiesel estão a todo vapor. São relâmpagos do progresso! Vida saudável, mente sã, corpo são, no polo sul-brasileiro de saúde na cidade das Universidades! Transformando Passo Fundo em uma grande Taba Futurista movida Biodiesel.”

Ramon Gadenz da Silva
Carnavalesco


Foto: Arquivo

Leia Também Conferência de Cultura discute e pensa plano para o município Conferência Municipal de Cultura acontece nesta quinta-feira Poeta de Sertão foi classificado no concurso nacional Sarau Brasil 2019 Feira do Livro já recebeu 14 mil pessoas e vendeu mais de 2,4 mil livros