Alunos da EMEF Georgina Rosado irão temporariamente para a Escola Jerônimo Coelho

Compartilhe

João Altair recebeu no programa Na Ordem do Dia, da Planalto News FM 92.1, a diretora da Escola Municipal de Ensino Fundamental Georgina Rosado, Elizete Flores.


Elizete informou que a escola, localizada no Bairro Lucas Araújo, será fechada para a grande reforma que será realizada. Em função disso e pela segurança dos alunos, a opção tomada pela direção foi a saída temporária do local. Atualmente 230 alunos estudam no educandário.

“É uma reforma que não entra no programa Minha Escola de Cara Nova, porque o valor dela é alto, vai ser feito com recursos próprios da prefeitura e por uma questão de segurança dos alunos nós optamos por sair da escola." informou.

Conforme o projeto, a escola receberá nova pintura em toda a escola; reparo nas paredes com infiltrações; reforma dos telhados; construção de cobertura no acesso; construção de rampas para acessibilidade geral da escola; troca de forros, pisos e luminárias; reforma completa nos banheiros; construção de banheiro para cadeirante; reformas internas para construção de auditório; finalização da estrutura de cobertura da quadra; muro de contenção nos fundos da quadra; construção de pátio nos fundos com playground; troca das grades no entorno da escola; e execução de calçada. 

Até a próxima semana, os alunos e professores serão realocados em outra instituição de ensino, a Escola Estadual de Ensino Fundamental Jerônimo Coelho. A escola, do Bairro São Cristóvão, acolherá a comunidade escolar da Georgina Rosado. A diretora informou que um ônibus será disponibilizado, pela Prefeitura Municipal de Passo Fundo, para transportar os alunos dos turnos da manhã e tarde.

A conclusão da reforma está prevista para abril de 2020.


Leia Também Matrículas da Rede Estadual para o ano de 2020 terminam no próximo domingo Educação municipal: lista com alunos designados já está disponível Escola Municipal Georgina Rosado recebe melhorias na estrutura Militarizar escolas públicas seria um ganho para a educação, ou desvirtuaria o verdadeiro papel dos educandários?