Aprovada na Câmara de Vereadores a alteração no Código de Obras

Compartilhe

A Sessão Plenária dessa segunda-feira (23) contou com a apreciação de duas proposições pelos parlamentares. Foram a Plenário um Projeto de Lei Complementar (PLC), que trata de alterações no Código de Obras do Município, em relação ao espaço do passeio público, e um Projeto de Lei, de autoria da Mesa Diretora da Casa, que inclui a contratação de estagiários do ensino médio e superior para setores do Legislativo Municipal.

Permeabilidade do Solo

Os vereadores aprovaram um Projeto de Lei Complementar, de autoria do parlamentar Aristeu Dalla Lana (PTB), que determina a reserva de espaço definido no passeio público para plantio de grama, ou para instalação de pisos intertravados vazados. Segundo o texto da matéria, deverá ser reservado, no mínimo, 50 centímetros da área de serviço, que é a área localizada junto ao meio-fio para uma destas atividades. O texto determina que a iniciativa será aplicada para construções em novos loteamentos e incluída na Lei Complementar nº 399/2016, que trata do Código de Obras de Passo Fundo.

Conforme a justificativa da proposta, o objetivo é possibilitar o aumento da permeabilidade do solo, devido ao crescimento constante de edificações, reduzindo a quantidade de áreas permeáveis no município. Também se entende que, de acordo com a justificativa, o plantio de grama ou a instalação de pisos intertravados vazados são maneiras de aumentar a permeabilidade do solo.

Dalla Lana ainda destacou a intenção de preservar o meio ambiente para instituir essa determinação. “Esse projeto visa cuidar da terra, das águas e do meio ambiente em geral. Creio ser importante para viabilizar o desenvolvimento do cuidado ao solo de nossa cidade, porque cuidando do meio ambiente, cuidamos do futuro de nossa cidade”, observou.

 

Estágios na Câmara

O Parlamento também aprovou nesta tarde o Projeto de Lei (PL), de autoria da Mesa Diretora da Casa, que trata da inclusão de estágios não obrigatórios para estudantes dos ensinos médio e superior na Câmara Municipal. Segundo o texto da matéria, não haverá vínculo empregatício, tendo cada contrato de estágio estabelecido o período máximo de dois anos.

Segundo a justificativa, o objetivo da proposta é estabelecer o estágio curricular aos estudantes, podendo lhes oferecer atividades de aprendizagem social, profissional e cultural.

 

Foto: Comunicação Social / Câmara Municipal

Leia Também Confederação dos Municípios e Famurs pedem cancelamento das eleições de 2020 Comissão Especial do Legislativo acompanhará aplicação dos recursos das emendas impositivas Regina Duarte deixa Secretaria Especial de Cultura Aprovado projeto do deputado Giovani Cherini para reduzir desperdício de alimentos em mercados e restaurantes