Um tempo de graça para a evangelização

Postado por: Ari Antônio dos Reis

Compartilhe

Estamos iniciando o mês de outubro e este tempo promete ser para a Igreja Católica um tempo de graça. Evidentemente devemos estar abertos a esta graça e sensíveis ao sopro do Espirito Santo. Ele sopra onde quer.

 Mais que um tempo medido cronologicamente é um tempo de acolhida à novidade que brota do amor de Deus. Este tempo vivido no mês de outubro é marcado pela dimensão do kairós, compreendido como momento decisivo na missão evangelizadora da Igreja.  É a oportunidade ímpar para acolher os desígnios de Deus. Cabe aos cristãos acolherem estes momentos sem reservas e confiantes na ação do Senhor.

Recordo três iniciativas, possíveis momentos de graça, que significam o desejo do Pai de dialogar com a humanidade no caminho da salvação. Deus, pelo Espirito Santo, age na humanidade pelas mediações humanas e eclesiais.

A primeira iniciativa é a proposição do mês missionário extraordinário, convidando todos os cristãos assumirem plenamente os compromissos do Batismo.  Este ideal se explicita no objetivo:  “despertar em medida maior a consciência da missio ad gentes e retomar com novo impulso a transformação missionária da vida e da pastoral”.  A Igreja, que nasce do desejo de Jesus Cristo de implantar o Reino de Deus no mundo, assume com empenho a obra missionária. Ela tem a grave responsabilidade de continuar a obra do Salvador até a experiência do Reino como realidade definitiva.  Então o compromisso missionário é parte da identidade eclesial. A Igreja é Igreja de Cristo se assume com decisão a obra missionária.  Neste mês de outubro os cristãos são motivados a aprofundar o compromisso missionário na perspectiva pessoal e como membros da comunidade de fé.

Outro momento muito rico é o Sínodo para a Amazônia. Foi convocado em outubro de 2017 pelo Papa Francisco e, depois de vários momentos de escuta e diálogo com os interessados, está chegando ao momento da assembleia conclusiva que acontecerá a partir do 06 de outubro, em Roma.  O Sínodo tem como tema: “Amazônia: novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral”. Tem como objetivo: “Identificar novos caminhos para a evangelização daquela porção do povo de Deus, especialmente dos indígenas, frequentemente esquecidos e sem perspectivas de um futuro sereno, também por causa da crise da floresta amazônica, pulmão de capital importância para nosso planeta”. O Sínodo acontece na perspectiva evangelizadora para aquela região tão importante para o Brasil, para o mundo, e consequentemente para Igreja. Em fidelidade a Jesus Cristo a Igreja se faz a companheira solidária de todos os homens e mulheres, especialmente aqueles que estão com sua integridade física ameaçada. E os povos presentes na região merecem a intensificação da presença eclesial. Ali está a oportunidade de vivenciar o evangelho de Cristo.

Existe uma terceira experiência de graça. O mês de outubro é conhecido como mês do rosário. Como o nome indica, é a oportunidade para as pessoas oferecerem rosas a mãe de Jesus como gesto de carinho e como pedido de intercessão, mediado pela oração do terço. É um elemento de religiosidade popular significativo nas comunidades e reconhecido como importante na missão evangelizadora.

Que possamos vivenciar estes momentos de graça que o mês de outubro está possibilitando. Deus, que em sua graça transforma o mundo, espera nossa acolhida.

Leia Também Sínodo Empregador em foco: Gestão Empresarial e a diminuição de risco trabalhista. O Fusca do padre De quem aceitar críticas