Novo lixão está sendo formado às margens da BR-285 em Passo Fundo

Compartilhe
O Grupo Ecológico Sentinela dos Pampas/GESP continua a receber infinitas denúncias de depósitos irregulares de lixo. 
Na área Industrial de Passo Fundo está sendo formado um novo lixão, semelhante o que possuíamos na década de 90 do século passado, localizado nas margens da BR 285.
Este mais "recente" depósito de resíduos,  de aproximadamente cem (100) metros de extensão por vinte e cinco (25) de largura, possui os mais variados materiais : madeiras, placas metálica, argamassa, tijolos, restos de jardinagem, terra, sílica, fios elétricos, sofás, televisores, garrafas plásticas,  material eletro-eletrônicos, papeis, papelões, vidros, pneus,armários, roupas. galhos e troncos de árvores, alimentos perecíveis, alguns animais mortos, peças  e carcaças de automóveis entre outros. Este mesmo local foi denunciado pelo GESP no ano passado (abril/2018) para as autoridades de Passo Fundo. Posteriormente, a Prefeitura Municipal realizou  limpeza no local, notificou o proprietário e foi colocado caçambas de entulho para que a população colocasse os resíduos de forma adequada, mas  não houve êxito .
Este novo lixão está às margens da Estrada Municipal, continuidade da Rua Manoel Portela, área Industrial de Passo Fundo.
Fatos como este já esta sendo muito comum em nossa cidade e os motivos são : falta de fiscalização adequada, dificuldade de identificar os criminosos, a não efetivação do Plano Municipal de Resíduos Sólidos, fragilidade do Conselho Municipal do Meio Ambiente/CMMA em discutir com profundidade a questão e a não efetivação contínua em educação ambiental em relação aos resíduos sólidos. O GESP realizou levantamento fotográfico , providenciou relatório e será protocolado no Ministério Público Estadual e Secretaria Municipal do Meio Ambiente/SMAM.

Leia Também Defesa Civil registra mais de 18 mil afetados pelos temporais no RS Bombeiros confirmam sétima morte no desabamento em Fortaleza Liberdade Econômica é tema de palestra em Passo Fundo Mais de 4,5 mil casas foram atingidas pelo granizo em Lagoa Vermelha