Funcionários da Grazziotin protestam por melhores condições de trabalho

Compartilhe
Texto e fotos: Rodrigo Accorsi/Rd Planalto   Texto e fotos: Rodrigo Accorsi/Rd Planalto 
Na sexta-feira, 7, cerca de 70 funcionários dos setores de depósito das lojas do Grupo Grazziotin paralisaram suas atividades e durante todo o dia, permaneceram em frente à sede da empresa, no bairro São Cristóvão. Eles tiveram apoio do Sindicato dos Comerciários de Passo Fundo e Região e protestaram contra as condições de trabalho insalubres, pelo aumento dos salários e pela reinserção de dependentes em seus planos de saúde. Além disso, os funcionários reclamaram do aumento do desconto, de R$ 15 para R$ 25 em folha, para os planos de saúde. Um dos diretores do sindicato, Tarciel da Silva, que liderou os funcionários durante o protesto, reuniu-se com a diretoria da empresa para uma reunião, que durou cerca de 1h30 no final da tarde de sexta-feira.

Depois que saiu, ele apresentou as propostas da empresa para os funcionários, que concordaram em retornar ao trabalho nessa segunda-feira, 10. "O protesto dos funcionários não era somente pelo aumento dos salários, mas por algumas questões pontuais dentro da empresa, como o local de trabalho, atestados e convênios médicos. A empresa se comprometeu em atender o pedido desses funcionários e nós estamos na vigília. Se houver algum tipo de retaliação contra os trabalhadores, vamos parar novamente a empresa", afirma. Na manhã de segunda-feira, 10, a reportagem da Rádio Planalto entrou em contato com um dos diretores da empresa, mas ele não quis se manifestar a respeito do assunto.

Leia Também Sindicalistas avaliam que greve geral foi um sucesso; para governo, mobilização fracassou Imposto de Renda: número de declarações entregues supera expectativa Organização criminosa roubou e vendeu mais de 1,5 mil carros no RS Rio: morre radialista atingida por carro alegórico no Carnaval