Resistência bacteriana será a principal causa de morte em 2050

Compartilhe

No Saúde em Debate desta quarta-feira (27), o comunicador Patric Cavalcanti conversou com a Farmacêutica do Controle de Infecção HSVP, Lidiane Pagnussat.

Em pauta, a Semana Mundial de Uso Consciente de Antibióticos que neste ano ocorreu de 18 a 24 de novembro e teve como objetivo chamar a atenção para o problema da resistência aos antibióticos, que é quando bactérias se tornam resistentes aos medicamentos disponíveis, e aumentar a conscientização sobre a importância do uso responsável de antibióticos.

“Nós precisamos aprender a usar bem os antibióticos disponíveis para evitar a disseminação das bactérias multirresistentes’’, disse a farmacêutica.

Os antibióticos são medicamentos utilizados para eliminar as bactérias e tratar doenças provocadas elas, mas as bactérias têm mecanismos para se defenderem quando são expostas repetidas vezes e por longos períodos aos antibióticos. A resistência aos antibióticos é uma defesa natural das bactérias e pode ser transferida para outras bactérias no meio-ambiente e para as gerações seguintes, com alta capacidade de disseminação. Apesar de ocorrer naturalmente, o problema tem se agravado a partir do uso inadequado de antibióticos tanto na saúde humana quanto dos animais. Por isso, está cada vez mais difícil tratar um crescente número de infecções e a resistência aos antimicrobianos é considerada uma das maiores preocupações globais em saúde pública.

“Nós estamos voltando à era onde os antibióticos não fazem mais efeito e onde as pessoas poderão voltar a morrer por infecções simples, tanto é que a previsão, estimativa para 2050, é que a infecção por bactéria multirresistente mate mais que câncer. ” Informou Lidiane.

Uma pesquisa da ONU revelou este ano que, até 2050, 10 milhões de pessoas no mundo poderão morrer a cada ano devido a doenças resistentes a medicamentos. Segundo o levantamento, infecções que não respondem a remédios já são responsáveis por pelos menos 700 mil óbitos anualmente. Dessas mortes, 230 mil são causadas por formas de tuberculose capazes de sobreviver a diferentes fármacos.

Durante o quadro Saúde em Debate, a enfermeira Adrieli Rockembach também falou sobre o curso Técnico de Enfermagem do HSVP, que está com as inscrições abertas!

A Escola de Educação Profissional São Vicente do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo, informa que estão abertas as inscrições para o Curso Técnico de Enfermagem. Ao todo são 115 vagas, sendo 40 para manhã, 35 para tarde e mais 40 para a noite. As inscrições devem ser realizas na Escola, na Rua Paissandu, 1314, Centro, das 8h30min às 11, das 13h30min às 17h e das 19h30min às 21h., até o dia 06 de dezembro.

O curso é composto por aulas teórico-práticas sendo 1.782h, além de estágio supervisionado que é realizado no HSVP, Unidades Básicas de Saúde - CAIS e em outras instituições conveniadas.


Os requisitos para a inscrição são: 17 anos e 4 meses completos, até fevereiro de 2020; apresentar Carteira de Identidade ou Carteira Nacional de Habilitação, Histórico Escolar original do Ensino Médio ou correspondente; foto 3x4 e pagar a taxa de inscrição de R$ 35,00.

O processo seletivo acontece no dia 17 de dezembro, às 19h30min e compreende entrevista de entrada e prova de Língua Inglesa, Biologia, Matemática e Atualidades, sendo conteúdo básico do Ensino Médico. O resultado será divulgado no dia 20 de dezembro, no site do Hospital São Vicente de Paulo.  Mais informações pelo fone 3316 4025 ou no site 
www.hsvp.com.br/enfermagem/.

(Com informações da ANVISA / ONU)

Leia Também Dezembro Laranja: medidas de prevenção e diagnóstico precoce do câncer de pele Inscrições para o Curso Técnico de Enfermagem do HSVP vão até o dia 13 Ação de prevenção de Câncer de Pele realiza mais de 300 atendimentos Prefeitura de Passo Fundo chama concursados na área de saúde