Criação de tilápia: burocracia gaúcha limita produção e Paraná avança

Compartilhe

          Ocorreu  nessa quarta-feira (27), o II Encontro da Tilápia, na Universidade de Passo Fundo.  Durante o dia, palestrantes  se revezaram no palco falando sobre técnicas de criação, mercado, legislação ambiental e mercado.

         Ficou evidente que a burocracia ambiental  gaúcha limita a produção. No Rio Grande do Sul não pode criar tilápia nas barragens e nos rios,  mesmo que as barragens estejam povoadas dessa espécie, conforme explicou o professor da Universidade Federal de Santa Maria, Ivanir Coldebella.

        Já no Paraná,  até mesmo a barragem da usina de Itaipu e o Rio Iguaçu,  são usados para criação de tilápia, em  tanques feitos de rede, relatou o professor da Unioeste, Aldi  Feiden.

        O  resultado da resolução da  burocracia ambiental no Paraná é que esse estado tornou-se o  maior produtor de tilápia do Brasil. Anualmente produz  113 mil toneladas.

       Foi demonstrado também que o mercado para esse tipo de carne é promissor.






Leia Também GESP preocupado com morte de peixes no Rio Passo Fundo Dez mulheres foram mortas em janeiro de 2020 no RS Motorista viajou mais de 600 km com jiboia no motor Prefeitura: novo veículo irá ajudar na fiscalização e licenciamento ambiental do município