Criação de tilápia: burocracia gaúcha limita produção e Paraná avança

Compartilhe

          Ocorreu  nessa quarta-feira (27), o II Encontro da Tilápia, na Universidade de Passo Fundo.  Durante o dia, palestrantes  se revezaram no palco falando sobre técnicas de criação, mercado, legislação ambiental e mercado.

         Ficou evidente que a burocracia ambiental  gaúcha limita a produção. No Rio Grande do Sul não pode criar tilápia nas barragens e nos rios,  mesmo que as barragens estejam povoadas dessa espécie, conforme explicou o professor da Universidade Federal de Santa Maria, Ivanir Coldebella.

        Já no Paraná,  até mesmo a barragem da usina de Itaipu e o Rio Iguaçu,  são usados para criação de tilápia, em  tanques feitos de rede, relatou o professor da Unioeste, Aldi  Feiden.

        O  resultado da resolução da  burocracia ambiental no Paraná é que esse estado tornou-se o  maior produtor de tilápia do Brasil. Anualmente produz  113 mil toneladas.

       Foi demonstrado também que o mercado para esse tipo de carne é promissor.






Leia Também Principal barragem de Passo Fundo não recuperou seu nível ideal Dia Internacional da Biodiversidade: cuidado com a fauna, a flora e o meio ambiente Forte estiagem promove ação de salvamento de diversos peixes na barragem de Ernestina GESP preocupado com morte de peixes no Rio Passo Fundo