Prefeito de Caxias do Sul é afastado após votação de impeachment

Compartilhe

Depois 51 horas  de votação aberta, a Câmara Municipal de Caxias do Sul, na Serra, aprovou o impeachment contra o prefeito Daniel Guerra (Republicanos).

A sessão começou na manhã da sexta-feira (20) atendendo uma requisição da defesa do prefeito e a procuradora-geral do município, Cássia Andréa Azevedo Kuhn, que pediram a leitura completa do processo, que possui quase 4 mil páginas.

Por volta do meio-dia deste domingo (22), 18 vereadores, ou seja, mais que 2/3 dos votos necessários, votaram a favor em três dos quatro itens apresentados na denúncia decidindo, portanto, o afastamento de Daniel Guerra.

As denúncias analisaram a existência de infrações político-administrativa quando Guerra negou o uso da Praça Dante Alighieri para realização da tradicional Bênção dos Freis Capuchinhos, que já tinha sido feita outras doze vezes na praça. Além da vez que fechou o Postão 24h sem consultar o Conselho de Saúde, que é um órgão de fiscalização.

Os vereadores também entenderam que houve discriminação quando o prefeito negou que a Parada Livre fosse realizada numa rua central da cidade.

A comissão dos parlamentares considerou improcedente, por falta de provas , o quarto item da denúncia que tratava de possíveis irregularidades na contratação de uma empresa pra fazer a gestão compartilhada da Upa Central.

A defesa de Daniel Guerra disse que as irregularidades não ocorreram e que a cassação é uma manobra política.

Fonte: G1 / Foto: Divulgação

Leia Também Senado deve votar nesta terça projeto de lei para combater fake news Chega à Câmara de Vereadores pedido de impeachment contra o prefeito de Passo Fundo Confederação dos Municípios e Famurs pedem cancelamento das eleições de 2020 Comissão Especial do Legislativo acompanhará aplicação dos recursos das emendas impositivas