O homem e o rio

Postado por: Clovis Oliboni Alves

Compartilhe

Analisando o homem e o rio,

No ímpeto de suas essências,

Observamos evidências,

Capazes de nos fascinar.

O homem assim como o rio,

Nasce com toda a pureza,

Em sua alma e coração.

E assim também nasce o Rio,

Com suas águas cristalinas,

Livres de qualquer poluição.

 

Ao longo de sua jornada,

O homem percorre caminhos,

Colhendo flores, mas também espinhos.

E assim também é o rio,

Que percorre seu sinuoso caminho,

Entre remansos e quedas,

Até atingir seu destino.

 

Ao final de sua caminhada,

O homem presta suas contas,

A Deus pai, o soberano.

E assim também é o rio,

Que encerra sua jornada,

Desaguando suas águas,

No majestoso oceano.

 

O homem assim como o rio,

Nasce puro e cristalino

De alma e coração.

E ao longo de sua jornada,

Trilha caminhos incertos,

Irrigando solo fértil,

Pra colher graças e amor.

“Em tempos de guerras, conflitos políticos, sociais e ambientais, falar em poesia pode ser uma boa opção.”

Leia Também Referencial Curricular Novo Ensino Médio no RS em consulta pública RABISCOS SEMANAIS: Luthier da Utopia! A verdadeira liderança gera engajamento Preparar o Presépio