Estiagem compromete 70% das lavouras em Ernestina

Compartilhe

Mesmo que a chuva tenha dado sinal de vida na região nos últimos dias, muitos danos já foram contabilizados nas lavouras. A falta de chuvas regulares em um ciclo de crescimento importante das plantas comprometeu grande parte da área plantada pelos produtores rurais  do município de Ernestina, na região de Passo Fundo.

Segundo levantamento, cerca de 70% da área plantada com milho, soja e pastagens foi danificada. Deste total, estima-se que a falta de chuva tenha comprometido entre 80% e 90% da área de milho; 95% do território ocupado por pastagens; entre 50% e 60% da soja precoce, o que corresponde a 30% da área total da soja; e entre 20% e 25% da soja no segundo ciclo - que corresponde a 70% da área total da soja.

O dado foi revelado pelo laudo elaborado a partir da avaliação dos danos da estiagem, em reunião na última sexta-feira (10) com a participação do vice-prefeito de Ernestina, Arno da Silva; o presidente do Sindicato, Paulo Baumgratz; a representante do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar, Rosane Treviso; membros do Conselho Municipal da Agricultura; e representantes das cooperativas agrícolas que atuam no município.

A partir do levantamento, afirma Arno, é possível pressionar os governos do Estado e da União para que políticas públicas sejam tomadas em caráter emergencial. A mobilização ocorre junto a outras municipalidades gaúchas prejudicadas pela falta de chuvas regulares neste período.

Créditos: Ass. Prefeitura de Ernestina

Leia Também Cooperativas de Energia elaboram Planejamento Estratégico 2020-2025 Obras no interior visam melhorar estradas para safra que inicia em março Reeleito na Fetag, Carlos Joel da Silva projeta próximas atividades Abelha sem ferrão: uma alternativa que começa a se difundir