O caos do trânsito

Postado por: Dilerman Zanchet

Compartilhe

Quando se desenvolve algum tema polêmico na imprensa local, os questionamentos são muitos e as opiniões, de todos os tipos, tamanhos e ideais, são inúmeros. Se um programa de rádio AM quiser uma grande audiência, trabalhe por alguns dias a questão do trânsito. Vai dar um “baita Ibope”.

Isso se deve pelo fato de que, aqui (e não diferente da maioria das cidades do país) se trabalha pensando somente nos quatro anos de administração. Não me digam que alguém planeja sua cidade para mais do que isso. É balela.

Passo Fundo tem problemas crônicos no trânsito. Não somente na área central, onde o funil se fecha, mas em seu entorno, no dito escoamento. Os prédios com garagens, os estacionamentos pagos, as vagas nas ruas e as chamadas benfeitorias não acontecem na mesma proporção que aumenta o fluxo de veículo. Em dias normais temos em circulação dezenas de milhares de automóveis, com os mesmos problemas de dias de calmaria, como em manhãs de terça-feira de carnaval.  Desde que instaladas, há uns três anos, os novos (?) semáforos ainda não foram sincronizados. Em horários de pico, o trânsito simplesmente trava na área central. É tão difícil encontrar uma solução?

É tão difícil o setor encarregado aceitar que temos muitas áreas reservadas para táxis e carga e descarga na área central? Observem: Táxis, paradas de ônibus, os containers de lixos, carga e descarga e ainda o abuso de algumas construtoras que tomam todo o passeio público quando de suas obras, engarrafam, congestionam e infernizam os estacionamentos e em consequência, o trânsito de Passo Fundo.

E as bocas-de-lobo? Quando serão normatizadas?

Podemos citar aqui centenas de problemas... E para a maioria apresentar humildes sugestões. Porém, que ao menos sejam objetos de análise.

Está na hora de uma atenção verdadeiramente especial ao trânsito. Isso também dá voto!

Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito