Ernestina: perdas nas lavouras pela estiagem chegam a 55%

Compartilhe

Os danos causados pela falta de chuvas regulares em Ernestina seguem sendo contabilizados pelas famílias e entidades. E os prejuízos continuam crescendo. Uma reunião na manhã de terça-feira (18), na Prefeitura, revelou que as perdas nas lavouras chegam a 55% devido à falta da chuva que era esperada para o período, o que resulta em perdas muito significativas na agricultura, principal atividade de subsistência da maioria das famílias que vivem no campo.

Segundo dados apresentados no encontro pela chefe do Escritório Municipal da Emater, Joana Hanauer, com o registro de precipitação da Estação Climatológica da Embrapa Trigo, de Passo Fundo, desde setembro de 2019 não chove regularmente no município conforme a média histórica. Nos meses de novembro e dezembro, por exemplo, choveu menos de 30% do esperado para o período, exatamente no momento crítico de crescimento de culturas de verão como o milho e a soja. Até agora, a estiagem foi responsável pela perda de 55% na produção de milho grão e silagem, cerca de 50% na soja e 20% na produção leiteira, além da canola e das pastagens.

Os dados foram apresentados em reunião com a presença do prefeito de Ernestina, Odir João Boehm; do vice-prefeito, Arno da Silva; do chefe de Gabinete, Sandro Pfluck; do representante da Secretaria da Agricultura, Bruno Altmann; do presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Paulo Baumgratz; de membros do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural e de representantes das cooperativas que atuam no município.

Segundo Hanauer, as precipitações pluviométricas registradas nos últimos meses “ocorrem de forma isolada e irregular”, e isso tem acarretado perdas significativas nas lavouras e, por consequência, às famílias produtoras. Com o levantamento dos danos causados pela estiagem, o município decretou Situação de Emergência ainda na terça-feira (18), documento assinado pelo prefeito Boehm. De acordo com o chefe do Executivo, “são muitas as famílias prejudicadas, principalmente no interior do município. Muitos produtores perderam grande parte da cultura de verão. Estamos mobilizados e prestando o atendimento possível e agradecemos a equipe de trabalho e a comunidade, o decreto de Situação de Emergência é necessário para que possamos agir em benefício das pessoas de Ernestina atingidas pela falta de chuva”, declara o prefeito Boehm.

Ouça a entrevista no programa Na Ordem do Dia, da Planalto News FM 92.1:

  • Estiagem em Ernestina | Prefeito Odir

Leia Também Comércio de Não-Me-Toque reabrirá na quarta-feira Comércio, serviços e indústrias voltarão a funcionar segunda-feira em Espumoso Barragem de Ernestina expõe os efeitos da seca Pontão: aulas da rede municipal suspensas a partir de quinta-feira