Exportações de grãos do Brasil não devem ser afetadas; Bolsas reagem na Europa

Compartilhe

As estimativas de exportações de grãos do Brasil neste ano se mantiveram inalteradas mesmo com as turbulências sofridas pelos mercados globais diante do rápido avanço do coronavírus, disse à Reuters nesta terça-feira a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec).

O diretor-geral da Anec, Sérgio Mendes, afirmou por telefone que a entidade mantém a projeção de que o Brasil exportará de 73 milhões a 74 milhões de toneladas de soja neste ano, além de 34 milhões a 35 milhões de toneladas de milho.

"Às vezes somos criticados por exportar produtos primários. Graças a deus exportamos comida", disse Mendes.

As principais Bolsas de Valores da Europa iniciaram a terça-feira, 17, em alta, depois de uma segunda-feira de baixas expressivas, devido ao temor que a pandemia do novo coronavírus provoca nos mercados financeiros.

Nos primeiros minutos de operações, as praças de Paris, Madri, Londres, Milão e Frankfurt registravam resultados positivos de entre 2 e 3%.



Fonte: Notícias Agrícolas

Foto: Canal Rural

    Leia Também Cooperativismo que supera desafios e continua avançando Expointer 2020 é suspensa por organizadores Prazos do Funrural voltam a contar a partir desta terça-feira Ameaça dos gafanhotos: declarado estado de emergência fitossanitária