Estiagem: fertirrigação é uma tecnologia para enfrentar o problema

Compartilhe

A Fertirrigação é uma ferramenta que combina a irrigação das plantas com adubação líquida ao mesmo tempo. A tecnologia está sendo aplicado no Rio Grande do Sul e em outros Estados pela Rivulis, uma empresa israelense, representada na região de Passo Fundo pela Água Viva Irrigação.

O sistema, explica o engenheiro agrônomo José Alessandro Martins, consiste na construção de uma rede subterrânea de canalização, a cerca de 40 cm de profundidade para a produção de grãos, com espaçamento médio de 90 centímetros entre as redes e 50 centímetros a cada gotejo.
Adolfo Moura, um dos únicos doutores em fertirrigação do Brasil, produtor rural no Ceará e, pesquisador e que estudou em Israel, enumera diversos benefícios desse sistema. Um deles é o aproveitamento da água. Gasta em torno de um sexto apenas da água utilizada em pivô central porque irriga diretamente o sistema radicular das plantas. O custo com a energia elétrica é reduzido porque os motores usados para bombear o líquido são bem menos potentes de que os utilizados para fazer rodar um pivô central. Além disso, o custo de adubação líquida é menor que os outros fertilizantes, dolarizados.
Martins, destaca ainda outras vantagens do sistema. Em pomares podem ser aplicadas até oito formulações de adubo e em lavouras de grãos quatro formulações diferentes. Essa dosagem e o controle, o agricultor faz através do seu telefone celular. Uma possível queda de energia elétrica, rompimento de cano, são alertados imediatamente no celular ou computador do produtor rural. Explica ainda que a tecnologia é aplicável em qualquer tamanho da propriedade. O maior projeto em prática está localizado em Alegrete, numa área de 180 hectares e o menor em 12 hectares no município de Santo Antônio das Missões. “O ideal é que o produtor tivesse pelo menos 15% de sua área de plantio irrigada para fazer frente à estiagens como essa que estamos enfrentando”, explica o agrônomo.
Renato Gonçalves, diretor da Água Viva Irrigação, comemora os resultados. Ele mostra a diferença de uma lavoura de milho cultivada no mesmo dia. Notadamente, onde tem irrigação subterrânea as plantas se desenvolvem e não murcharam devido a seca. (54 9 9953 5825)


Leia Também Estado tem garantia de abastecimento de alimentos, afirma Covatti Filho Passo Fundo decreta calamidade pública na área rural Feira on-line: um novo jeito de comprar produtos frescos e direto do produtor de Passo Fundo e região Agricultores mantêm dedicação total para a colheita da safra