Mais de 100 empresas de Passo Fundo defendem o isolamento vertical e a reabertura do comércio

Compartilhe

Representando os cidadãos e pessoas preocupadas com a população, não só com o sistema econômico, mas com a saúde, alguns empresários da cidade se unem em movimento que analisa formas de isolamento que não prejudiquem economicamente os passo-fundenses.

Segundo o grupo criado virtualmente, não é momento de divisão e sim de união para entender da melhor forma como resolver a crise.

Mais de 180 lideranças empresariais se reuniram de forma virtual para elaborar um documento chamado “manifesto favorável ao isolamento vertical”.

O documento integra empresários de 102 empresas que envolvem diretamente 4.094 funcionários.

Leia abaixo o manifesto:

“MANIFESTO FAVORÁVEL AO ISOLAMENTO VERTICAL

No dia 25 de março de 2020, na cidade gaúcha de PASSO FUNDO, algumas pessoas, dentre elas, empresários, pessoas ligadas ao comércio, à indústria, à educação, aos serviços em geral, bem como pessoas preocupadas com todo e qualquer cidadão, independente de classe econômica, religião ou partido político, decidem registrar formalmente que "não irão voltar ao NORMAL”, porque o normal era exatamente o problema. Precisamos voltar melhores. Menos egoístas, mais solidários e mais humanos.

Temos um inimigo único, e em comum, diferentemente dos tempos de guerra, que se podia escolher o lado de quem se ficava. Nosso inimigo está aí, é grave, e devemos respeitá-lo como bem tem nos ensinado os profissionais da saúde. E pensando nisto é que nos reunimos, para deliberarmos sobre algumas providências.

Primeira: Nossos cidadãos, que se encontram em grupo de risco, devem permanecer isolados, tomando todas as precauções. Além disso, TODOS nós devemos, incansavelmente, continuarmos com os cuidados de saúde necessários para que não haja propagação desse vírus.

Segunda. Entretanto, utilizando álcool gel e outros meios de proteção, ganhamos tanta confiança que nos permite ter a esperança de que podemos colocar nossos próprios recursos de trabalho para circular para o sistema, reabrindo nossas portas das empresas, devolvendo os postos de trabalho aos nossos funcionários, oferecendo nossos produtos aos clientes, recebendo nossos alunos e professores.

A vida precisa seguir seu fluxo, antes que o desespero nos assole e tome conta de todos, baixando, aí sim, nossa imunidade, o que nos torna mais vulneráveis ao contágio de doenças. Com a consciência, ora muito maior acerca de cuidados de saúde que devemos ter, respeitando o isolamento vertical imprescindível, registramos a total intenção de retomarmos às atividades normais e diárias nos nossos respectivos setores, de forma escalonada a partir do próximo dia 30 de março até o dia 06 de abril de 2020.

Assim, segue a adesão a presente manifestação, de todos os signatários que participaram da reunião virtual, e concordaram em subscrever a presente manifestação, juntamente com os organizadores da reunião virtual, Srs. Itamar Antonio Moretti Basso e Roberto Campos.”




Leia Também Manifestação pede a reabertura do comércio em Não-Me-Toque Federasul manifesta posição contrária ao decreto do governador Eduardo Leite Novo decreto restringe a circulação de pessoas com mais de 65 anos em Passo Fundo Virologista da UPF destaca importância dos estudos sobre eficácia do uso da cloroquina