Provocaram os céus

Postado por: Adalíbio Barth

Compartilhe

Numa comunidade paroquial acorria muita gente, pois, o pároco dava bênçãos para as mais diferentes necessidades. Igualmente expulsava todo tipo de mal.

Marcava, todavia, um dia especial para essas bênçãos. Aí sim, lotava o templo, e com muita solenidade, invocava a bênção de Deus e o patrocínio dos santos. E todos saíam felizes pela proteção invocada. Plantavam e cultivavam diversas plantações, com uma garantia de colheita.

O que mais as roças ostentavam, eram as lindas plantações de milho. Todos andavam eufóricos pela previsível boa colheita do produto. Mas, certo dia, levantaram-se nuvens pretas e não tardou a chuva torrencial. Para surpresa de todos, começou também uma chuva de pedras, que destruiu totalmente as promissoras lavouras.

O povo foi reclamar com o zeloso pároco sobre a ineficácia das bênçãos e proteções recebidas. O padre, conhecedor da cultura de sua gente, que blasfema, chamando de “porco” a Deus e todos os santos, não deixava por menos e dizia:

- “Também, com as blasfêmias, mandaram muitos “porcos” para o céu. Agora Ele veio buscar o milho”.

Muitas vezes diz-se que ninguém consegue controlar a natureza. Ela tem suas leis próprias, segue o seu curso e não pergunta nada para ninguém. Neste casuísmo, as pessoas se conformam com tudo o que acontece. Mas, sob o olhar da fé, percebe-se que há uma linguagem divina, por trás de todos os fatos e acontecimentos.

Leia Também Jovens ainda escolhem ser professoras É preciso afiar o machado A divulgação do vídeo da reunião ministerial Contar histórias e fazer memórias