À procura do sentido da vida

Postado por: Adalíbio Barth

Compartilhe

Certa vez, um pedaço de ferro, outro de madeira e uma pedra foram, mundo afora, à procura do sentido da vida.

Caminharam até a beira do mar. Todos se entusiasmaram pela sua imensidão, pela beleza das ondas, por suas cores e transparências. O ferro entusiasmou-se sobremaneira. E logo foi dizendo aos seus amigos, a madeira e a pedra, que havia achado o seu lugar. Ali, naquele mar, iria realizar-se. E jogou-se ao mar.

Todavia, logo percebeu o engano, pois a água salgada do mar enferrujou o ferro que para nada mais servia.

A pedra e a madeira continuaram o seu caminhar em busca de um sentido para suas vidas. Depois de longa andança, ao anoitecer, chegaram a uma floresta. Viram um clarão que se levantava brilhante, e se aproximaram para conhecer de perto essa luz maravilhosa. O pedaço de madeira entusiasmou-se com a luz e o calor, e jogou-se dentro das chamas, em busca de realização. Mas a madeira queimou, virou cinza e para nada mais servia.

A pedra continuou o seu caminho. Naquela noite, chegou perto de uma casinha muito simples, atraída pelo choro de uma criança. Ao aproximar-se, espiou num buraco, por onde entrava um vento muito frio, que provocava o choro da criança.

Percebendo isso, jogou-se contra o buraco, fechando-o. A criança parou de chorar. Descobriu, então, que o sentido de sua vida era ajudar a quem precisava, dentro de suas possibilidades.

Leia Também Eu e minha casa serviremos ao Senhor! (Josué 24,15) Semana Social Brasileira: terra, teto e trabalho – 2 Quem é Jesus para você? RABISCO SEMANAL: Jovem, in persona christi