Reviravolta: mãe de bebê assassinado mente em depoimento e pode estar envolvida no crime

Compartilhe

Uma reviravolta no caso do padrasto  que matou o enteado no município de Erechim surpreendeu a polícia e a comunidade erechinense.

O padrasto, de 42 anos é apontado de matar seu enteado, de 9 meses, no município de Erechim. O crime ocorreu no bairro Aeroporto e o bebê chegou a ser encaminhado para atendimento médico na Fundação Hospitalar Santa Terezinha.

A mulher, primeiramente relatou à polícia que saiu para buscar leite na casa de um pastor e quando retornou para casa encontrou seu bebê desacordado na cama. Ainda conforme ela, a criança foi encaminhada ao atendimento médio por um casal, que atendeu o pedido de socorro dela em via pública.

Os médicos tentaram reanimar a criança. Ainda de acordo com informações não oficiais, a suspeita é de que a criança tenha sido asfixiada e espancada. Ela apresentava afundamento de crânio e hematoma na região cervical.

O padrasto foi preso pela Brigada Militar pouco mais de meia hora depois do crime ocorrer. Ele foi apontado como assassino.

No momento em que a reportagem policial da Planalto News conversava com a mãe do bebê, em frente à casa onde aconteceu o fato, a Polícia Civil chegou e intimou ela para um novo depoimento. Ela foi levada para a delegacia que está investigando o caso.

O homem preso relatou para a polícia que a mulher não saiu de casa para pegar leite com o pastor, mas sim para comprar drogas e usar com ele. Ele negou ter matado a criança, mas a polícia acredita que a versão dele não seja verdadeira.

Para a reportagem, a mulher contou que também é usuária de drogas. Ela também relatou à polícia.

Na última intimação da mulher, ela acabou confessando que realmente sai de casa para comprar drogas. A Polícia tem 10 dias para concluir o Inquérito Policial.

 A mãe da criança também é suspeita da polícia de ter participado do crime. Dessa forma, ela permanece na Delegacia e Polícia Civil.

O repórter policial Bruno Reinehr continua acompanhando a ocorrência. Em breve novas informações poderão surgir. Sintonize: FM 92.1

A POLÍCIA CIVIL DIVULGOU UMA NOTA SOBRE A INVESTIGAÇÃO DO CASO:

Um homem de 42 anos foi preso em Erechim, no bairro Aeroporto, na madrugada desta quinta-feira (28), suspeito de matar o enteado, de apenas 10 meses. Segundo a Polícia Civil, que investiga o caso, a criança teria sido agredida na região da cabeça, enquanto a mãe - que é usuária de drogas - saiu para comprar entorpecentes em um bairro vizinho. Em seu depoimento, no entanto, a mulher, de 31 anos, informou que havia deixado a residência para buscar leite na casa de conhecidos - versão já desmentida pela Polícia. 

Ao retornar para casa, ela encontrou o companheiro alterado e com sinais de embriaguez. Quando questionou o paradeiro do filho, o homem afirmou que a criança dormia e não deveria ser incomodada. Só que ao verificar a situação, a mãe constatou que o menor estava ferido e, aparentemente, sem vida.

Ela deixou a casa com o filho no colo, conseguiu ajuda de populares e foi levada de carro até o Hospital Santa Terezinha. Infelizmente, a criança já teria entrado sem vida”, conta o titular da 2ª Delegacia de Polícia de Erechim, delegado José Roberto Lukaszewigz, citando o depoimento da mãe da criança. Lukaszewigz ficou responsável pelo caso.

O homem foi preso em casa, por policiais militares – os mesmos que foram chamados ao hospital para registro da ocorrência. Já na delegacia, negou ser responsável pela morte da criança. Disse ainda que a mulher não teria saído de casa para pegar leite, mas comprar drogas e que estava acompanhada dele. Quando voltaram à residência, segundo ele, a criança já estava sem vida. À Polícia Civil a mulher confirmou ser usuária de drogas, mas negou a versão apresentada pelo companheiro. A Polícia tem 10 dias para concluir o Inquérito Policial.

Leia Também BM prende dois homens por descumprimento de prisão domiciliar em Passo Fundo Dois suspeitos pelo desaparecimento de jovem em Soledade são soltos e outro vai para o regime semiaberto Tiro acerta nádega de homem em Passo Fundo Policiais do 3° BPChq se integram à Polícia Federal para verificação de casas queimadas e confrontos em reserva de Água Santa