Protestos aumentam nos Estados Unidos

Compartilhe

Horas após a ameaça feita pelo presidente Donald Trump de forças armadas para "dominar as ruas", cidades dos Estados Unidos foram tomadas por cenas de mais violência que ofuscaram protestos pacíficos contra o racismo na segunda-feira (1º). Esse sétimo dia de manifestações aconteceu em um momento que 40 cidades do país impuseram um toque de recolher para tentar conter novos confrontos.

Os EUA enfrentam onda de protestos contra o racismo após morte de George Floyd por um policial.

- Em Nova York, manifestações pacíficas registram alguns incidentes: foram quebradas vitrines de lojas perto do Rockefeller Center e da loja Macy na 34th Street. Um carro passou perto de um grupo de agentes de segurança e deixou pelo menos dois feridos.

- Na Filadélfia, policiais usaram armas não letais para dispersar um grupo de manifestantes que ocupou uma rodovia interestadual depois do toque de recolher.

- Em Washington, os arredores da Casa Branca registraram confrontos entre forças de segurança e manifestantes durante o discurso de Trump. Helicópteros sobrevoaram os manifestantes. A prefeita de Washington, Muriel Bowser, antecipou em quatro horas o início do toque de recolher, que começou às 19h (21h de Brasília). Depois deste horário, dezenas de manifestantes foram detidos.


 Foto: Curtis Compton/Atlanta Journal-Constitution via AP

Leia Também Morre caminhoneiro de Passo Fundo vítima de grave acidente no PR STJ autoriza prisão domiciliar para Fabrício Queiroz e esposa Grito é proibido em montanha-russa para evitar o coronavírus Rodovia é liberada em Cruz Alta e ponte ainda vai receber novas obras