A perseverança do cachorro

Postado por: Adalíbio Barth

Compartilhe

A maioria das pessoas já deve ter visto um cachorro levantar uma lebre e o ritual da perseguição à caça.

Tomado pela certeza de ter visto a lebre, o cachorro empreende uma louca corrida pelos campos e roças. Começa a latir sem parar. O latido desperta a curiosidade dos outros cachorros e todos se associam ao primeiro, correndo atrás dele e latindo também sem parar. Por onde passam, outros cachorros da vizinhança entram na empreitada de prender a tão cobiçada caça.

O primeiro cachorro, o que viu a lebre, não se cansa de persegui-la. Passa pelos vales, sobe encostas de morros, enfrenta o capim do campo e o pedregulho da estrada, mas continua perseverante, porque viu a lebre. Os outros cachorros, que se solidarizaram com ele, sem ter visto a lebre, aos poucos, ao enfrentarem dificuldades, vão desanimando e desistindo da corrida.

Assim que a lebre vencer o desafio da sobrevivência, somente o cachorro que a viu inicialmente continua farejando o chão por onde ela passou, na esperança de encontrá-la novamente.

O mesmo acontece com a pessoa que teve uma experiência de Deus. Quem O sentiu em sua vida, como presença de amor, não O larga mais e O busca incessantemente.

 

Leia Também Semear Papa Francisco: um líder para estes tempos difíceis (2) Vínculos com as famílias para atividades a distância na pandemia A estátua de sal