Mês Vermelho alerta para a importância da doação de sangue

Compartilhe

            No Brasil, a cada mil habitantes, 16 são doadores de sangue, o que representa 1,6% da população. Junho é lembrado como o mês vermelho, já que o Dia Internacional do Doador de Sangue é comemorado no dia 14. A doação de sangue é um gesto simples, de solidariedade que faz a diferença para aqueles que precisam. O Serviço de Hemoterapia do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), de Passo Fundo, conta com estrutura ampla e moderna, física e de pessoal, além de disponibilizar tecnologias que atendem todo o ciclo produtivo do sangue e demanda transfusional do HSVP.

            Para a manutenção do estoque de hemocomponentes, a doação é fundamental para garantir o tratamento de pacientes que necessitam de transfusão. Na Hemoterapia do HSVP, os principais requisitos para doar sangue são: sentir-se bem, com saúde, ter entre 18 e 69 (a primeira doação precisa ser feita até os 60 anos), pesar acima de 50kg, repouso mínimo de seis horas na noite anterior, não ingerir bebida alcóolica nas 12 horas anteriores, evitar alimentos gordurosos, não doar sangue em jejum e apresentar um documento com foto na chegada ao Serviço.

            A doação consiste em cinco etapas: realização de cadastro, triagem hematológica (verificação dos sinais vitais e hematócrito), triagem clínica (entrevista individual e sigilosa), coleta de sangue e lanche.

            Já os principais critérios que impedem a doação de sangue são: ter tido gripe ou febre nos últimos 15 dias, ter feito cirurgia recentemente, ter tido diagnóstico de hepatite após os 11 anos, grávidas ou amamentando (até um ano de idade do bebê), ter recebido transfusão nos últimos 12 meses, ter tido relação sexual com múltiplos parceiros nos últimos 12 meses e pessoas expostas a doenças transmissíveis pelo sangue (AIDS, hepatite, sífilis, doença de chagas, entre outras).

Doação automatizada

            Quando se fala em doação de sangue, é preciso lembrar que o sangue é formado pelo plasma, que é a parte líquida e possui várias substâncias, hemácias, que são os glóbulos vermelhos, leucócitos, que são os glóbulos brancos e plaquetas, que são fragmentos celulares, assim, além da doação total de sangue, o Serviço de Hemoterapia disponibiliza a modalidade de doação automatizada, que se divide em doação automatizada de plaquetas e doação automatizada de duplo de hemácias. Nesta categoria, o sangue retirado do doador passa por um kit estéril e descartável, instalado em um equipamento que faz a separação das células através da centrifugação. É importante ressaltar que o sangue não entra em contato com a máquina, o componente desejado é drenado para uma bolsa e os demais componentes retornam continuamente ao doador.

            As plaquetas são produzidas pela medula óssea e fazem parte do processo de coagulação sanguínea, quando ocorre um sangramento, elas atuam aderindo ao local, resultando na coagulação. A transfusão de plaquetas é feita durante o tratamento de pacientes com câncer, leucemias, politraumas, transplantes, cirurgias de grande porte, entre outros.

            Já as hemácias, também produzidas pela medula óssea, tem a função de transportar o oxigênio para todo o corpo. A transfusão ocorre quando há a necessidade de repor glóbulos vermelhos, como anemias em quimioterapias, sangramento por politraumas, entre outros. Esta modalidade de doação beneficia o paciente, pois, de um único doador, duas unidades de hemácias são geradas, expondo assim, o paciente a um menor número de doadores.

Requisitos para doação automatizada

  • Ter realizado nos últimos 12 meses uma doação de sangue total no Serviço de Hemoterapia;
  • Possuir bom acesso venoso que permita a coleta;
  • Apresentar boa contagem de plaquetas (para doação automatizada de plaquetas), onde será feito um hemograma antes da doação;
  • Apresentar Hemoglobina superior a 14% (para doação automatizada de duplo de hemácias), onde será feito um hemograma antes da doação;
  • Pesar no mínimo 60kg para doação automatizada de plaquetas e 70kg para doação automatizada de duplo de hemácias;
  • Ter disponibilidade de permanecer no Serviço de Hemoterapia de 90 a 120 minutos para doação automatizada de plaquetas e 120 minutos para a doação automatizada de duplo de hemácias;
  • Não ter ingerido alimentos gordurosos nas três horas que antecedem a doação;
  • Fazer agendamento prévio pelo (54) 3316-4087.

Relato de quem doa

            Doador de plaquetas há dois anos, Jonas Bueno conta que neste ano coloco uma meta de doze doações, o máximo que a modalidade permite ao ano. Para ele “esse gesto é muito importante, pois ajuda muitas pessoas que precisam”. Ciente da relevância de realizar uma doação, Jonas faz um alerta para as pessoas. “Invista um tempo e venha fazer uma doação, pois ajuda muitas pessoas. Faça a sua parte”, pontua.

Foto: Ascom HSVP/Scheila Zang)


Leia Também SindiSaúde promove mobilização no 'Dia Nacional de Luta em Defesa da Vida e dos Empregos' em Passo Fundo Simers comemora o aniversário de Passo Fundo de forma diferenciada Hospital São Vicente recebe doação de testes rápidos do Lions Clubs Dia Nacional da Saúde: professora da Anhanguera Passo Fundo orienta sobre depressão na pandemia