Famílias em Tempos de Pandemia

Postado por: Élvis Mognhon

Compartilhe

 

Está bastante claro que a pandemia mudou drasticamente o estilo de vida das pessoas, especialmente alterando a estrutura, o funcionamento e a forma como as famílias estavam organizadas. Tanto adultos quanto crianças foram profundamente impactados pelas mudanças.

Os pais, por vezes, não sabem como reagir e se expressar diante da situação e do cenário que se apresenta avesso e extraordinário. Em meio ao contexto de pandemia, de forma muito natural, inclusive esperada, os pais querem ajudar os filhos nessa transição. Ocorre, porém, que os pais também se sentem incapazes de dar conta de determinadas situações e ter o controle sobre as diversas informações, transformações e novas possibilidades. Além disso, há o ingrediente da imprevisibilidade do cenário atual que muitas vezes gera o sentimento de impotência pela falta de respostas e perspectivas.

As crianças que vinham de uma rotina escolar, cada vez mais sentem a falta de seus professores e colegas. O ambiente online de aprendizagem ajuda muito a suprir essa deficiência, porém, infelizmente, nem todas as crianças têm acesso ou conseguem se adaptar ao “novo” modelo de educação. Isso tudo, gera angústia e insegurança nos pais, afetando diretamente os filhos.

Por outro lado, a capacidade de adaptação do ser humano é incrível. Para algumas pessoas o “novo normal” tem ajudado tanto do ponto de vista pessoal quanto dos relacionamentos. Algumas famílias, inclusive, estão se reinventando e aproveitando o momento para se reencontrar e reconstruir laços afetivos. Nesse sentido, enquanto estratégia de enfrentamento, a busca pela criação de vínculos mais efetivos e eficientes, tem sido bastante assertiva e capaz de produzir excelentes resultados.

O que muito se tem dito é que não seremos os mesmos depois da pandemia. A sociedade não será a mesma de antes, as relações que estabelecemos não serão mais as mesmas. Tudo será renovado. A grande expectativa é que essas mudanças sejam para melhor, inclusive que tenhamos famílias mais felizes e com vínculos mais saudáveis.

O que todos esperam é que tudo fique bem e que a humanidade possa sair fortalecida dessa pandemia, jamais esquecendo as vidas que foram perdidas, mas levando em consideração os aprendizados gerados e vivenciados.

** O leitor poderá enviar sugestões, dúvidas, questionamentos sobre o tema para o e-mail: emognhon@gmail.com Para agendar atendimentos clínicos utilizar o WhatsApp (54) 99983 9966.

 


Leia Também É perigoso dizer SIM! Livro do Deuteronômio: abre a tua mão para o teu irmão (Dt 15,11) O palhaço do fogo do circo RABISCOS SEMANAIS: Caminhar juntos(as)!