Advogado de Alexandra Dougokenski abandona defesa no Caso Rafael

Compartilhe
Foto: Bruno Reinehr/Rádio Planalto News   Foto: Bruno Reinehr/Rádio Planalto News  

Uma mudança na versão apresentada por Alexandra Dougokenski, mãe do menino Rafael Winques, de 11 anos, morto em Planalto, região Norte do Estado, deve encaminhar o caso para homicídio doloso.

A polícia voltou  defender a linha de investigação, que aponta que Alexandra agiu sozinha. Conforme as autoridades, trata-se de uma pessoa muito metódica, que não gostava de ser desrespeitada. Conforme a Polícia, isso motivou o crime.

Jean Severo, advogado de defesa de Alexandra Dougokenski, mãe do menino, deixou o caso e não defende mais a mulher.

Em entrevista exclusiva à Rádio Planalto News, o advogado relatou que Alexandra foi coagida pela polícia a mudar a versão do acontecido. Segundo ele, os policiais falaram para a mulher que o filho, de 17 anos, seria morto pela população ou preso se ela não mudasse.

O advogado informou que chegou por volta das 14h de sábado na Delegacia de Polícia de Planalto, onde Alexandra já estava desde às 10h. Ele salientou que os delegados de polícia que lá estavam, coagiram a mulher mudar a versão.

Ainda segundo Jean Severo, Alexandra narrou essa situação a ele, que gravou em vídeo.

“Ela queria ficar quieta, mas aí, eles ficam em quatro delegados dentro de uma sala, sem a defesa estar perto. Nós fomos proibidos, não sei o motivo até a agora”, relatou Severo. Ele ainda salientou que nesse depoimento, Alexandra narrou fatos que não condizem com a verdade.

Durante o depoimento, ela admitiu ter matado o menino com uma corda, porém em vídeo divulgado pelo advogado, Alexandra alega que estaria sendo coagida pela polícia a mudar sua versão dos fatos e está arrependida do que fez.

Jean Severo, que defende Alexandra, não assinou o depoimento, por que segundo ele Alexandra foi coagida.

  • Acompanhe a entrevista exclusiva íntegra

Leia Também Prefeitura multa bares clandestinos e falta do uso de máscara em Passo Fundo PRF prende homem procurado pela Justiça em Sarandi Caso Homem-Pateta: como manter seu filho protegido dos perigos da internet Homem agride companheira, desacata PMs e acaba preso em Passo Fundo