Coronavírus: pacientes com obesidade são mais frágeis

Compartilhe
            Os  pacientes de covid-19,  obesos, têm sofrido mais que os próprios fumantes e os idosos. Uma série de complicações advindas do excesso de peso, fazem com que muitos desses pacientes acabem falecendo.  O médico Carlos Augusto Madalosso, PHD em medicina, com mais de 3.500 cirurgias bariátricas no curriculum através da Clínica Gastrobese, nos últimos 20 anos, explica que a obesidade reduz a quantidade de músculos para respirar. “Se o indivíduo já tem dificuldades na respiração,  para andar ou para subir uma escada, ao contrair uma doença como o Covid-19,  que tem efeito respiratório, ele vai precisar de muito mais esforço, de algo que ele já é limitado, consequentemente aumenta a chance de evoluir para um quadro grave”, explica o médico. 
       Além disso, a obesidade é uma doença de causa inflamatória. Com mais gordura inflamatória,  aumenta a possibilidade de coagulação,  provoca problemas nos alvéolos  dos pulmões dificultando  a  troca gasosa,  ocorre  falha na pulsação do coração, vazamento de trombose, além de outras complicações. 
      Sobrepeso ocorre quando a pessoa está com 15 quilos a mais do que seria o normal. Os casos mais delicados são de pessoas com 40 quilos acima, considerado morbidade. Em síntese o ideal seria uma pessoa de  1,70m de altura pesar 70 kg, com 1,80m de altura pesar 80 kg e assim sucessivamente
  • Dr Carlos Augusto Madalosso | Obesidade | FM 92.1

Leia Também Governador mantém Passo Fundo na bandeira vermelha e ressalta que decisão se deve ao alto índice de hospitalizações Passo Fundo tem 3798 recuperados da Covid-19 Força-Tarefa constata novas aglomerações em Passo Fundo Vacina russa contra a Covid-19 será registrada nesta semana