Fepam emite primeira licença que autoriza captura de peixe exótico invasor no RS

Compartilhe
 Foto: Estevão Vicente/Fepam    Foto: Estevão Vicente/Fepam 

A Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) emitiu a Licença de Operação (LO) para um empreendimento na Serra Gaúcha que atua com pesca esportiva. O licenciamento autoriza a captura do peixe black bass (Micropterus salmoides), espécie exótica invasora vinda da América do Norte que pode colocar em risco animais nativos do Rio Grande do Sul, competindo por alimento e agindo como um predador para filhotes de peixes, crustáceos e rãs.

A presença do black bass no local foi identificada após um laudo de fauna. Esta foi a primeira licença envolvendo o controle objetivo de um organismo aquático no processo de licenciamento. Para a chefe da Divisão de Infraestrutura e Saneamento Ambiental (Disa) da Fepam, Clarice Glufke, “apesar da proibição de criar a espécie no Rio Grande do Sul, o peixe está disseminado em muitos rios e represas de várias regiões, e o licenciamento ambiental pode contribuir com as ações de controle”.

Desta forma, a solução adotada no licenciamento, emitido em 5 de agosto, considerou uma oportunidade de controle dessa espécie invasora, seguindo o Programa Estadual de Controle de Espécies Exóticas Invasoras, coordenado pela Secretaria de Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema).

Diferentemente da modalidade pesque e pague, em que o animal é capturado e devolvido, neste caso foi acordada com o empreendedor a proibição da devolução do peixe à água e a autorização de consumo e transporte, conforme a Portaria Sema 79/2013.

O coordenador do programa Espécies Exóticas Invasoras da Sema, Dennis Patrocínio, diz que o controle delas no Rio Grande do Sul só poderá avançar a partir do engajamento de instituições públicas e privadas. Segundo ele, a Fepam dedica atenção diferenciada para esta questão.

Invasoras RS

Espécies exóticas invasoras são uma das cinco maiores ameaças à biodiversidade no mundo. Essas espécies, normalmente trazidas de fora pelo próprio homem, podem se reproduzir sem controle, provocando a morte de espécies nativas, o desequilíbrio ambiental e econômico, além de risco à saúde.

O enfrentamento desse problema e a criação de estratégias de controle são compromissos dos governos, e um dos principais desafios é informar a população sobre essas espécies e os riscos que elas geram. Nesse sentido, em 2019 a gestão alçou o Programa Estadual de Controle de Espécies Exóticas Invasoras (Invasoras RS) como prioritário na prevenção, monitoramento e controle das invasões biológicas no Rio Grande do Sul.

Ainda no ano passado, a Sema implantou o Plano Estadual de Prevenção, Controle e Monitoramento do Javali e realizou o Seminário Regional Espécies Exóticas Invasoras, com presença de especialistas do Brasil, do Uruguai e da Argentina. Agora em 2020, durante a semana de aniversário da secretaria, lançou um vídeo educativo sobre essas espécies, que pode ser conferido aqui. Conheça mais sobre o programa, acessando o site da Sema.

Leia Também Fumaça do Pantanal se desloca para o Sul do país Pinguim morre após engolir máscara de proteção que foi jogada no mar do litoral de SP Nove irmãos gambás encontrados em Esmeralda recebem atendimento na UPF Resgate junto à BR-285: Planalto News apresenta como estão os filhotes de pumas atendidos na UPF