Ronaldinho Gaúcho promete ao Ministério Público do Paraguai se "comportar" na volta ao Brasil

Compartilhe
Se tudo correr bem, Ronaldinho Gaúcho e seu irmão, Roberto Assis, deixarão o Paraguai no começo da tarde desta terça-feira, após ficarem 171 dias detidos no país.
Eles ouviram do juiz Gustavo Amarilla, na segunda-feira de que o acordo feito junto ao Ministério Público do país era válido e estavam livres do processo que começou em março passado.

Ambos se declararam culpados por entrar no Paraguai apresentando documentos falsos e vão deixar US$ 200 mil (R$ 1,1 milhão) como reparação por dano social.

Esgotados pelos mais de cinco meses presos no Paraguai, Ronaldinho e Assis apenas concordaram com tudo o que foi exposto pelo juiz e pelos promotores durante a audiência.

Assim que Gustavo Amarilla pediu recesso para redigir sua decisão, o duas vezes melhor do mundo pela Fifa se levantou da cadeira e foi em direção aos promotores do caso. Ali, conversou rapidamente com Marcelo Pecci, Federico Delfino e Alicia Sapriza. E fez uma promessa. "Vou me comportar no Brasil, prometo", assegurou.

Os irmãos Assis vão agora para o Rio de Janeiro, porém somente Ronaldinho estará livre para deixar o Brasil.

Roberto, por sua vez, precisará cumprir penas mais rígidas após o MP considerá-lo responsável por pedir os documentos falsos.


Fonte: ESPN

Leia Também Passo Fundo Futsal faz sua estreia no domingo pela Série Ouro/RS Passo Fundo Futsal empata na reabertura do Ginásio Capingui Planalto News conta a história de Passo Fundo Futsal x Horizontina Gre-Nal: Pepê marca e garante mais uma vitória de Renato sobre Coudet