Bolsonaro volta a defender fim de pedágio a motocicletas

Compartilhe

O presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a dizer que pediu ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, para analisar a isenção de pedágio para motociclistas em novos contratos de concessão de rodovias. A fala foi uma resposta a um apoiador com quem conversou na manhã desta terça-feira, na saída do Palácio da Alvorada.

“Nós somos 7,5 milhões de motoboys, menos de 1,5 milhão contribui porque ninguém sabe para onde vai nosso recurso”, argumentou o apoiador. “O que eu orientei o Tarcísio (de Freitas, ministro da Infraestrutura), nas novas concessões, vê se é possível moto não pagar pedágio”, respondeu Bolsonaro.

O fim do pedágio para motociclistas já havia sido mencionado pelo mandatário antes. Em julho, logo após ter anunciado testar negativo para o novo coronavírus, o presidente quebrou o isolamento de 15 dias e fez um passeio de moto pela capital federal. Na ocasião, prometeu a um grupo de apoiadores que contratos futuros de concessões de rodovias não irão cobrar pedágio de motociclistas.

Ele disse ter dado essa diretriz ao ministro da Infraestrutura. “Já falei com o Tarcísio para em novos contratos isentarem motociclistas”, afirmou no dia 25 de julho.

Para bancar essa isenção para os motociclistas o pedágio subiria em média 5% para outros motoristas, de acordo com cálculos da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR).

Fonte: Agência Estado 

Leia Também Justiça derruba liminar e determina volta dos peritos às agências do INSS Segundo ano sem horário de verão divide opiniões dos brasileiros Sistema do TSE pretende permitir voto pela internet em futuras eleições Centro de Distribuição da Amazon no Rio Grande do Sul abre seleção para 700 vagas