Professor

Postado por: Nei Alberto Pies

Compartilhe

 

Compartilho, nesta coluna, interessante reflexão escrita por Fabrício Carpinejar, jornalista, poeta, cronista e colunista de Zero Hora, como homenagem aos professores e professoras, neste Outubro Educador de 2020.

 

“Um professor sempre será melhor do que o Google.

Porque o professor não dá uma informação, conta histórias.

Porque o professor funciona mesmo sem Wi-Fi, mesmo sem luz, mesmo no temporal.

Porque o professor não facilita a busca, exercita a memória.

Porque o professor não cria dependência, mas possibilita amizades.

 

Porque o professor pode mudar o destino de um assunto, voltar atrás, recomeçar de novo, dependendo das necessidades da turma.

 

Porque o professor não realiza só o que você deseja, vai além com detalhes e comparações.

Porque o professor lê a sua alma quando levanta o dedo para a pergunta, não apenas recebe uma dúvida.

Porque o professor também se importa com aquilo que não entendeu mais do que aquilo que quis perguntar.

Porque o professor escolhe falar do que ama. Você não está apenas tendo uma aula sobre um conteúdo, e sim testemunhando uma história de amor.

Porque o professor não coloca o seu salário acima da vocação, não coloca as circunstâncias acima dos indivíduos.

 

Porque o professor não julga, é todo feito para compreender, e enxerga a nota como um retrato provisório de sua curiosidade. Aposta na recuperação milagrosa quando nem mais a família tem esperança.

 

Porque o professor não pratica nenhuma competição, não patenteia as suas frases, não sonega o que viveu, repassa tudo o que assimilou na carreira.

Porque o professor vislumbra o que você pode vir a ser, não se fixa em sua idade.

Porque o professor já foi aluno e entende que a atenção é resultado da confiança.

Porque, quando dá as costas, o professor continua enxergando com os ouvidos.

Porque o professor não tem pressa, já que cada um tem o seu ritmo.

Porque o professor não é onipotente. Faz humor quando erra. Você aprende a ser humano como ele.

Porque o professor fica feliz quando alguém demonstra saber mais do que ele.

 

Porque o professor realiza trabalhos em grupo para os alunos se admirarem pelo conhecimento.

Porque o professor cede o seu espaço para apresentações, torcendo para que um aluno goste de ser professor no futuro.

 

Porque o professor sofre com elegância. Nunca saberá quando está triste. Ele inspira a seguir adiante ainda que sem ânimo, a não parar a rotina devido a algum descontentamento”.

Porque o professor é o próprio livro falado, encadernado de expectativas que vá até o fim.

Porque o professor repassa a lista de chamada para você se pertencer dia após dia.

Porque o professor diferencia a ignorância da burrice. Ignorância é falta de vontade, burrice termina com o esforço.

Porque o professor corrige as suas provas com comentários, personalizando as falhas e os acertos.

Porque o professor acredita em você. O Google acredita apenas em algoritmos.

 

Link da publicação no site: https://www.neipies.com/professor/

 

(Autor: Fabrício Carpinejar)

Leia Também Você já ouviu falar da Síndrome de Burnout? Pe. Ivo e Pe. Fernando, gratidão! A convicção e o testemunho da Ressurreição Deus sobre uma árvore