Campanha esclarece sobre a prevenção e tratamento do zumbido

Compartilhe

A campanha Novembro Laranja pretende conscientizar e alertar a população sobre o zumbido. Caracterizado como uma percepção sonora, mesmo na ausência de estímulo sonoro externo, o zumbido pode prejudicar a rotina e qualidade de vida.  De acordo com a médica otorrinolaringologista do Hospital de Clínicas de Passo Fundo, Dra. Thaís Marques da Costa, o zumbido não é uma doença. “O zumbido no ouvido é um sintoma comum causado por uma variedade de enfermidades.” explica. 

 

A especialista esclarece por que esta alteração ocorre. “O ouvido interno, órgão responsável pela audição e equilíbrio, é sensível e, por isso, é comum a relação de sintomas desse órgão com alterações específicas em outros órgãos ou sistemas, principalmente com o sistema metabólico, já que a orelha interna gasta muita energia para seu funcionamento. Quando ocorre variações dos níveis de glicose, insulina e hormônios tireoidianos, alterações vasculares ou decorrentes de “stress” continuado, acontece um desajuste dos mecanismos que promovem a homeostase do corpo humano, e pode aparecer zumbido.” enfatiza Dra. Thaís. 

 

“O zumbido pode ser curável, a depender da causa, mas em todos os casos, ele pode ser amenizado. Quanto mais cedo se procura tratamento, menor a chance de que este problema auditivo seja prejudicial para sua vida. E são várias as opções de tratamento, que devem ser personalizadas caso a caso.”  pontua. 

Fique atento às recomendações da otorrinolaringologista:   

- Evitar o consumo excessivo de cafeína, refrigerantes (a base de cola), chocolates, bebidas de álcool; 

- Evitar o uso de medicamentos sem indicação médica; 

- Evitar o ruído intenso e/ou constante; 

- Cuidar o “stress” (o zumbido causa "stress" e o "stress" causa zumbido podendo ser um ciclo vicioso); 



(Foto Ilustrativa: Lusíadas)

Leia Também Curso Técnico em Enfermagem do HSVP está com inscrições abertas Após nascer prematuro, pequeno guerreiro Luiz Felipe recebe alta da CTI Neonatal do HSVP Passo Fundo registra cerca de 100 novos casos de AIDS por ano Residência em Dermatologia HSVP/UFFS é referência no interior do estado