Luz do mundo

Postado por: Dom Rodolfo Luís Weber

Compartilhe

O terceiro domingo do Advento confirma que o grande acontecimento do Natal já está próximo. A alegria vai tomando conta porque está próxima a realização da promessa da vinda do Salvador. Os sinais externos testemunham traços fundamentais daquele que vem vindo. O texto bíblico do domingo diz que João Batista, “veio como testemunha, para dar testemunho da luz” (João 1,6-8.19-28). A proximidade do Natal nos faz falar de luz, nos faz iluminar os ambientes com luzes. Por mais luzes que se coloque são apenas testemunhas da Luz. Um dia, em meio a suas pregações, Jesus declara:  “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue, não caminha na escuridão, mas terá a luz da vida” (João 8,12).

Preparar-se para o Natal é prestar atenção aos sinais luminosos que indicam para o Menino Jesus. A liturgia da noite natalina é permeada pela palavra “luz”. O profeta Isaías (9,1) vai anunciar: “O povo, que andava na escuridão, viu uma grande luz; para os habitantes nas sombras da morte, uma luz resplandeceu”. Quando os pastores recebem o anúncio do nascimento de Jesus “a glória do Senhor os envolveu em luz” (Lucas 2,9). Na Epifania uma estrela luminosa conduz os magos ao encontro do recém-nascido.

O simbolismo da luz é universal e tem um significado muito amplo. No contexto bíblico, particularmente no Novo Testamento, a luz indica Jesus Cristo. Ele se apresenta como “luz do mundo” e é “a luz verdadeira, que, vindo ao mundo, a todos ilumina” (João 1,9). “A mensagem que dele ouvimos e vos anunciamos é esta: Deus é luz e nele não há trevas” (1 João 1,5).

A luz é reflexo da divindade, segundo os textos bíblicos. O significado simbólico da luz é vida, felicidade, alegria, salvação, libertação. Aplicava-se à obra do Messias até o ponto de se designar a este de “Luz”. Algumas citações a título de exemplo. A luz na prisão de Pedro revela o anjo da libertação. Paulo reconhece a presença de Deus na luz que o cega. A nuvem luminosa na transfiguração mostra a presença de Deus. Ele é a luz verdadeira e nele os cristãos habitam.

A luz significa conhecimento, significa verdade em contraposição com a escuridão da mentira e da ignorância. Deste modo, a luz faz-nos viver, indica-nos a estrada. Enquanto gera calor, a luz significa também amor. Onde há amor levanta-se a luz no mundo e o ódio, a escuridão se dissipam.

Ao longo dos séculos Cristo-Luz envolveu mulheres e homens e estes são chamados filhos da luz (Efésios 5,6-14) e tornam-se luz do mundo. O cristão, mediante a sua participação na luz e na vida de Deus por meio de Jesus, transforma-se ele próprio, em instrumento de luz para aqueles que se acham nas trevas. Nas palavras do evangelista são “testemunhas da luz” na medida que apontam para Cristo com a caridade: a bondade para com todos, a carinhosa atenção pelos mais fracos e marginalizados da sociedade, pela partilha e solidariedade, pelo cuidado com os doentes, pela convivência fraterna, pelo diálogo, pela promoção da paz, pela graça do perdão.

“A luz virá, a luz virá e resplandecerá o novo dia”. (Letra e música: João Paulo Ramos Durães)

Leia Também “A figura deste mundo passa” O agir político durante a pandemia Valorize o que você tem RABISCOS SEMANAIS: Ciclística do Viver!