Indonésia confirma queda de avião

Compartilhe
Foto ilustrativa / Internet   Foto ilustrativa / Internet 

Autoridades indonésias confirmaram a queda de um avião neste sábado (9). Um Boeing 737-500 da companhia aérea Sriwijaya Air com 62 pessoas a bordo sumiu dos radares quatro minutos após decolar de Jacarta, capital da Indonésia. O governo confirmou que enviou um navio de resgate para as operações de busca.

Segundo o site especializado FlightRadar24, o avião fazia o voo 182 e perdeu mais de 10 mil pés de altitude em menos de um minuto enquanto rumava à cidade de Pontianak, na ilha de Bornéu. Por volta das 4h40 (de Brasília; 14h40 em Jacarta), o Boeing desapareceu. A viagem duraria cerca de uma hora e 30 minutos.

O ministro dos Transportes da Indonésia, Budi Karya, disse em entrevista coletiva que 62 pessoas estavam a bordo, incluindo 12 tripulantes. Outro oficial havia dito anteriormente que havia 56 passageiros e seis tripulantes. Não há qualquer indício que permita determinar as causas.

Moradores disseram a um jornal local que ouviram um estrondo próximo ao horário que o avião perdeu contato.

A aeronave desaparecida voou pela primeira vez em maio de 1994. Aviões Boeing 737-500 têm histórico de segurança considerado excelente. Nenhuma companhia brasileira com voos regulares opera esse modelo atualmente; entre as décadas de 1990 e 2000, empresas como Rio Sul e Nordeste, hoje extintas, operavam essas aeronaves.

Trata-se, portanto, de um modelo bastante anterior ao 737 MAX, linha de aviões de Boeing que sofreu com dois acidentes graves recentemente. Um deles, com uma aeronave da Lion Air em 2018, ocorreu na Indonésia.

As tragédias levaram à interrupção dos voos com aeronaves do tipo. Somente no fim do ano passado as autoridades de aviação começaram a permitir a retomada das operações com o 737 MAX.

Os possíveis primeiros destroços do Boeing 737-500 da Sriwijaya Air que se acidentou neste sábado (9) foram encontrados por pescadores e policiais no mar no entorno da ilha de Lake, informou a agência de notícias estatal Antara.

Vários cabos estão sendo retirados da água na localidade onde o avião pode ter caído.



(Fonte: G1)

Leia Também Pelo Brasil: aluna de autoescola é reprovada após derrubar muro durante prova Líder de Sindicato fala à Planalto News sobre mobilização dos caminhoneiros Governo do RS autoriza novos concursos públicos para mais de 3,4 mil vagas Advogado Itamar Basso analisa proposta de deputado para mudança de Hino Rio-Grandense